Resenha: J. Kendall, Aventuras de uma criminóloga 17 – O Crime Negado

Resenha: J. Kendall, Aventuras de uma criminóloga 17 – O Crime Negado

09/11/2021 0 Por Maxson Vieira

Essa é uma publicação do ano de 2021 da editora Mythos, que republica de forma regular as aventuras da personagem italiana. Esse volume possui roteiro de Giancarlo Berardi, Maurizio Mantero e colaboração de Claudia Salvatori. A arte fica por conta da equipe composta por Gustavo Trigo, Marco Soldi e Enio Legisamón.

A história começa com a tentativa de assassinato de uma mulher de meia idade, que se revela uma policial. Ela se fez de isca para tentar prender um assassino de mulheres, mas ele consegue fugir em direção a uma estação do metrô. Júlia e o Tenente Webb conseguem acompanhar o criminoso. Durante essa abordagem, numa troca de tiros, o tenente sai ferido e a perseguição acaba com a famosa criminóloga convencendo o assassino a se entregar. Durante o inquérito, o assassino confessa todos os seus crimes menos um, a morte de uma mulher chamada Jennifer Sisley.

Julia e seu amigo Leo começam a investigar o assassinato de Jennifer e logo encontram várias pessoas com motivos para matá-la. A partir deste ponto, uma engenhosa trama de sexo, dinheiro e drogas vai se desenrolando. Após analisar os fatos, Júlia chega a uma conclusão baseada na posição em que o corpo da mulher foi encontrado.

Ao ler esse volume de Júlia, somos surpreendidos pela obsessão da criminóloga ao realizar suas investigações. Normalmente recatada e avessa a ambientes festivos, causa grande estranheza ao ir até uma casa em que é praticado a troca de casais, sessões de sadomasoquismo e uso de drogas.

Outro ponto bastante interessante mostrado nessa história diz respeito ao quão complexo e difícil é entender e acreditar em acontecimentos oriundos da mente de um psicopata. Até que ponto é possível acreditar num depoimento de uma pessoa mentalmente instável e manipuladora? Questões como esta devem fazer parte da rotina de policiais e investigadores pelo mundo e dificilmente são respondidas.

O roteiro desenvolvido pela equipe criativa é muito interessante e prende o leitor, que dificilmente abandona a leitura antes do fim. Apesar ter apenas 130 páginas, a história é bem desenvolvida e as motivações dos suspeitos são verossímeis. A ambientação, juntamente com a arte, lembra muito os filmes policiais noir da década de 1980.

Apesar de a arte ser oriunda de uma equipe de artistas, o estilo é mantido constante durante toda a edição, sendo que o recurso das sombras é muito bem utilizado. Durante as cenas na boate, essas sombras transmitem uma sensação de realismo muito grande.

Para quem gosta de histórias de investigação policial ou suspense, essa publicação é um prato cheio.

Esse volume tem capa cartão, 130 páginas em preto e branco, miolo com papel off-set e possui preço de capa de R$ 30,90. Pode ser facilmente encontrada com bons descontos em sites especializados ou no site da própria editora.

Por Maxson Vieira