Home O Garoçá Curiosidades Filha da Puta: Confira 18 clipes musicais de ontem que retratam o Brasil de hoje

Filha da Puta: Confira 18 clipes musicais de ontem que retratam o Brasil de hoje

Filha da Puta: Confira 18 clipes musicais de ontem que retratam o Brasil de hoje
0

 

1ª -Filha da Puta, de Ultraje a Rigor (1989). Nesta canção, a letra compara o Brasil com uma prostituta. E como somos todos filhos do Brasil,  você sabe como somos chamados, né?

2ª Dívidas, dos Titãs (1986). Aqui, o personagem está endividado e sendo procurado por credores. Te lembra alguém? Se identificou com a letra?

3ª Até quando esperar?, da Plebe Rude (1986). A letra fala que o país é rico mas alguém está com a sua parte. E aí? Vai ficar esperando a ajuda de Deus ou vai correr atrás da sua?

4ª Perplexo, de Os Paralamas do Sucesso (1989). Nesta música, o autor fala que o brasileiro renova as esperanças, logo após perdê-la, mas é enganado pelos nossos políticos. Aliás, quem te disse que o país é nosso, questiona Herbert Vianna.  

5ª Podres Poderes, de Caetano Veloso (1984). Caetano chama todos que governam a América de “ridículos tiranos”, por que exercem seus podres poderes. Lembra algo a “temer”?

6ª Inútil, de Ultraje a Rigor (1985). Será que somos mesmo uma nação de inúteis? A letra desta música nos remete ao Complexo de Vira-latas, de Nelson Rodrigues. Mas que muita coisa é verdade na letra, isto é…

7ª Que país é este?, da Legião Urbana (1987). Ninguém respeita a constituição mas muitos acreditam no futuro da nação. E você acredita? Respeita a constituição?

8ª Até quando?, de Gabriel, o pensador(2001). Até quando você vai ficar parado e tomando porrada de todo mundo? Não adianta olhar pro céu, com muita fé e pouca luta. Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve…” 

9ª Brasil, de Cazuza (1988). Aqui, Cazuza pede para o Brasil mostrar a sua cara, mas qual é a cara atual do Brasil? Será a dos políticos ou a sua?

https://www.youtube.com/watch?v=1Ss_b5IirIg

10ª Eu Protesto, do Charlie Brow Jr. (2001). Música que faz um protesto, principalmente contra os “caras do senado”.

11ª Aluga-se, de Raul Seixas (1980). Será que a solução é alugar o Brasil. Ou  o Brasil já foi vendido faz tempo? Você “vai dar” para os gringos entrar?

12ª Geração Coca-Cola, Legião Urbana (1985). Letra profética que diz que comemos lixo comercial e industrial, mas será que somos mesmo filhos da revolução?Será que a carne que consumimos é boa?

13ª Fardado, Titãs (2004). A letra desta música faz uma referência aos policiais que, apesar de também serem explorados, impedem os protestos da nação.

14ª Chega, de Gabriel, o pensador. Um bom resumo de tudo o que pagamos e de como somos explorados.

15ª Toda a forma de poder, de Engenheiros do Hawaii (1986). Letra clássica. “Eu presto atenção no que eles dizem, mas eles não dizem nada. Fidel e Pinochet tirão sarro de vocês que não faz nada”

16- Luis Inácio (300 picaretas), dos Paralamas do Sucesso (1996). Aqui, o Lula fala que são 300 picaretas com anel de doutor, referindo-se aos nossos políticos. Confira a música. 

17ª Vossa Excelência, de Titãs (2005). Aqui o grupo paulista lava a alma de muitos brasileiros ao chamar diversos senhores de Filhos da Puta. Veja quem são.

18ª Hino dos cafajestes, Ultraje a Rigor (1986). Música comum nos churrascos feitos por muitos caras do congresso e também pelo seu vereadorzinho de m… aí de sua cidade 

Texto e Pesquisa: Márcio Ribeiro

Seleção de repertório: Márcio Ribeiro

[email protected]

MTB: 0078407

Márcio Ribeiro Sou Jornalista, Guia de Turismo, Monitor Ambiental, Técnico em Lazer e Recreação e Guia de Birdwatching. Sou um caiçara com orgulho das matas da Juréia. Trabalhei na Rádio Planeta FM, sou um dos fundadores do Jornal Bem-Te-Vi e participei de uma reunião de criação do Jornal do Caraguava. Fiz estágio na Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Peruíbe e no Jornal Expresso Popular, do Grupo "A Tribuna", de Santos, afiliada Globo. Fui Diretor de Imprensa na Associação dos Estudantes de Peruíbe - AEP. Trabalhei também em outras áreas. Atualmente, escrevo para O Garoçá, Editoria Livre e para a Revista Editoria Livre.

Deixe uma resposta