Home O Garoçá Curiosidades Álbum “Brasil” dos Ratos de Porão completa 30 anos ainda com letras atuais

Álbum “Brasil” dos Ratos de Porão completa 30 anos ainda com letras atuais

Álbum “Brasil” dos Ratos de Porão completa 30 anos ainda com letras atuais
0

Uma porrada de letras e som! Se você não tem preconceito contra o punk, hardcore e nem com gordo, dê uma olhada neste álbum lançado no final dos anos 80 pela banda brasileira Ratos de Porão. Se você já ouviu falar deles, conhece o João Gordo, mas não sabe que “apito eles tocam”, esta é a sua chance de conhecer.

Confira as faixas que destacamos:

A faixa que abre o “CD” é chamada de “Amazônia nunca mais”. Fala da destruição da amazônia e diz que o mundo precisa do inferno verde, isto é, muitos se aproveitam e lucram com a destruição daquela floresta: “Mas o homem branco com seu sujo poder escravizou e prostituiu. Se aproveitou da pura inocência dos verdadeiros filhos do Brasil”, trecho.

A faixa 2 traz a música “Retrocesso” que fala diretamente do medo da volta da ditadura militar. A questão é que o disco acontece em 1989, mas parece que estamos falando dos dias de hoje. Profecia? “Cuidado com o poder do regime militar. O tempo vai retroceder e o DOI-CODI vai voltar no Brasil! Brasil! Brasil! Ame-o ou deixe-o. Essa era a solução de Médici e sua corja imposta para o povo do Brasil! Brasil! Brasil!”

Na faixa 3, o título já diz para quê a música veio. “Aids, Pop e Repressão” faz uma crítica ao aumento do número de AIDS, ao mercado fonográfico e a repressão policial.

AIDS: “Emborracha o danado para não se infectar. Aquela coisa boa você nunca vai achar”.

Pop: “O rock brasileiro é uma farsa comercial”.

Repressão: “As drogas representam um caso policial”.

Outro trecho: “Sexo, drogas, rock ‘n’ roll. Quem está nascendo agora isso não vai conhecer. Aids, Pop, Repressão. O que é que eu fiz para merecer isso?”

Após as três primeiras músicas, pulamos as faixas:

4 -“Lei Do Silêncio”

5 – “S.O.S. País Falido”, onde fala da inflação e que o país vai afundar.

6- “Gil Goma” (Homicídio, latrocínio), em referência ao famoso repórter policial, Gil Gomes.

7- “Beber Até Morrer”, fala para os jovens não se entregarem à bebida

8 – “Plano Furado II”, aqui a letra critica a constante troca de moedas, antes do plano Real.

9 – “Heroína Suicida”, aqui fala para as pessoas não se entregarem às drogas

10 – “Crianças Sem Futuro” , trecho: “Temos aqui também um “Xou” de alienação”, em referência ao popular Programa da Xuxa, que fazia sucesso na época. 

Para avançarmos para a música

11- “Farsa Nacionalista”. Se esta letra fosse postada hoje, o autor seria acusado de esquerdista, lulista e sabe-se lá com qual outro “ista” iriam rotular. Mas que parece uma fala para aqueles que apoiam o Bolsonaro e que são alienados parece. Você é um pobre de direita? Então o recado pode servir para você:  “A pátria armada nas mãos dessa cambada de extrema direita, T.F.P. Ficará manipulada por burgueses moralistas e não há lugar para você.”

Confira a música

Depois o álbum segue com

12- “Traidor”

13-  “Porcos sanguinários”, em referência à polícia.

14-  “Vida animal”, letra forte e impactante, destacando alguns dos defeitos humanos.

15- “O fim”, instrumental.

16- “Máquina Militar”, crítica aos militares: “Escute soldado, você está mutilado. Você não nos serve mais”

17- “Terra do Carnaval”. Nesta, a letra fala da dificuldade do povo por conta da corrupção: “Você sabe de onde eu venho? Da terra do carnaval, onde a maioria é pobre e se fode pra viver”. “Minha terra tem ladrões que aprenderam a roubar, na escola do poder, honestos não entram, não!”

18- “Herança” é a última.

O álbum foi gravado na Alemanha, em duas versões: Uma em português e a outra em inglês. Foi o quarto álbum da banda que está ativa até os dias de hoje. Após este, foram mais 10 álbuns de estúdio.

Confira o trabalho completo:

https://www.youtube.com/watch?v=WvUJOzkHwMg

.:

Texto e Postagem: Márcio Ribeiro

Pesquisa: Márcio Ribeiro

Imagens e Vídeos:Youtube

Contato: [email protected]

Márcio Ribeiro Sou Jornalista, Guia de Turismo, Monitor Ambiental, Técnico em Lazer e Recreação e Guia de Birdwatching. Sou um caiçara com orgulho das matas da Juréia. Trabalhei na Rádio Planeta FM, sou um dos fundadores do Jornal Bem-Te-Vi e participei de uma reunião de criação do Jornal do Caraguava. Fiz estágio na Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Peruíbe e no Jornal Expresso Popular, do Grupo "A Tribuna", de Santos, afiliada Globo. Fui Diretor de Imprensa na Associação dos Estudantes de Peruíbe - AEP. Trabalhei também em outras áreas. Atualmente, escrevo para O Garoçá, Editoria Livre e para a Revista Editoria Livre.

Deixe uma resposta