Poesia: “Capa de Tucum” (Só para Caiçaras Legítimos)

 

Oh! Minha linda Pegoava!

Deixais chegar à capa de Tucum.

E roçar igual a Timbopeva;

Incharás igual ao Baiacu.

 

No chão de mato preto;

Mexerei primeiro as borda…

e com meu amorzinho no peito

Vou sorver igual a “mixorda”!

 

Oh! Minha peguavinha.

Meu peito tá difrusado;

Tão qual no tráfico da farinha…

Um branco quente retirado.

 

Pro almoço não se preocupe:

Não vai lhe faltar nada!

Levo comigo a minha Sarapoa,

Rede, rifle e a tarrafa.

 

“Oh, mainga”! Prepare a Manema!

Vou buscar o Saquaritá!

Carne de Paca e carne seca…

no “fumeiro” vai ficar.

 

E aqui pra sempre com vois me ce,

Pra sempre vou querer viver…

E deixo escrito estes versos;

Só quem é caiçara vai entender…

(Márcio Ribeiro) 13/11/2016

 

Autor e Criação: Márcio Ribeiro

Foto: André Benedito

Postagem: O Garoçá

Todos os direitos reservados – Fevereiro de 2017

 

MTB: 078407

 

 

Márcio Ribeiro

Sou Jornalista, Guia de Turismo, Monitor Ambiental, Técnico em Lazer e Recreação e Guia de Birdwatching. Sou um caiçara com orgulho das matas da Juréia. Trabalhei na Rádio Planeta FM, sou um dos fundadores do Jornal Bem-Te-Vi e participei de uma reunião de criação do Jornal do Caraguava. Fiz estágio na Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Peruíbe e no Jornal Expresso Popular, do Grupo "A Tribuna", de Santos, afiliada Globo. Fui Diretor de Imprensa na Associação dos Estudantes de Peruíbe - AEP. Trabalhei também em outras áreas. Atualmente, escrevo para O Garoçá, Editoria Livre e para a Revista Editoria Livre.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.