Encenada pela Companhia D’Alma, a peça teatral L’IIlustre Moliére traz de forma bem humorada parte da trajetória do dramaturgo francês Moliére (1622-1673). A história se passa no século XVII e nos apresenta o protagonista ensaiando suas peças com uma turma de atores. Em diversos momentos nos deparamos com a transposição de cenas em que Moliére discute com seu grupo e ao mesmo tempo se iniciam várias peças ensaiadas pelos personagens da história.

 

Moliére, muito bem interpretado pelo ator Guilherme Santana, escrevia peças – e isso fica extremamente claro neste espetáculo – com um objetivo que ia muito além de apenas entreter a plateia: provocar a sociedade hipócrita e a sua ganância por ascensão social. Um dos exemplos é a peça Tartufo, em que ele conta a história de um devoto da igreja que, além de tentar seduzir uma mulher casada é um golpista. Esse trecho é apresentado em L’llustre Moliére mostrando que a peça foi altamente censurada pela Igreja, logo após a sua estreia, e quase foi proibida de permanecer em cartaz pelos tribunais do rei Luís XIV da França.

Dirigida por Sandra Corveloni, o espetáculo agrega contemporaneidade a uma trama do século XVII, deixando a peça ainda mais atraente.

Por Mariana Mascarenhas