Crédito: João Caldas

Quem é que nunca ao menos já ouvir falar em Dom Quixote de La Mancha e seu companheiro Sancho Pança – os famosos personagens de uma consagrada obra literária de Miguel de Cervantes? Difícil achar alguém.

Pois é para este mundo de Cervantes recheado de fantasia e ilusão que o Teatro do Sesi leva o seu público, ao apresentar o espetáculo musical O Homem de La Mancha. Produzido em comemoração aos 50 anos do Teatro Popular do Sesi, o musical faz parte de um projeto que pretende democratizar a cultura oferecendo musicais gratuitos.

Depois do sucesso de A Madrinha Embriagada, dirigido por Miguel Falabella, aplaudido por milhares de pessoas no Teatro do Sesi, o projeto vem agora com este segundo musical gratuito, também dirigido por Falabella e com adaptação do texto de Dale Wassermanom.

A peça se passa num sanatório da década de 30, onde um homem, que se apresenta como Miguel de Cervantes (Cleto Baccic), muda a vida dos internos assim que chega ao local transformando-os em personagens da peça de teatro que ele passa a encenar ali dentro. Cervantes apresenta então a história de Dom Quixote de La Mancha: um homem cujo nome verdadeiro é D. Alonso Quijana e que escolheu viver num mundo fantasioso de cavaleiros e criaturas imaginárias, sendo por isso taxado de louco por sua família. Dom Quixote sai ao mundo em busca de aventuras, sempre acompanhado de seu fiel amigo e escudeiro Sancho Pança. O próprio Cervantes é quem vive Dom Quixote.

Toda a inocência e esperança de um mundo melhor implícitos no comportamento de Quijana são claramente traduzidos para a plateia graças à brilhante atuação de Cleto Baccic. Além da forma como está totalmente entregue aos seus personagens, transmutando-se em pleno palco de um jovem Cervantes para um velho Dom Quixote, Baccic também se destaca pela excelente expressão corporal e vocal, que contribuem para enriquecer ainda mais o roteiro – que por si só já se revela encantador. O auge do espetáculo ocorre quando Baccic, no papel de Quixote, canta a música Sonho Impossível, chegando a causar arrepios na plateia e ser ovacionado por ela.

Em meio a vários atores talentosos, o ator Jorge Maya arranca gostosas gargalhadas do público no papel de Sancho Pança e também se revela um ator de grande talento pela naturalidade com que consegue encarar na medida certa seu personagem. Outro destaque é a atriz Sara Sarres, que interpreta a prostituta Aldonza – mas que para os olhos inocentes de Dom Quixote é uma linda dama chamada Dulcinéia. Sara encanta os ouvidos da plateia ao entoar as canções do espetáculo com sua voz suave e cativante, assim como sua vibrante atuação no palco.

Produzido pelo Atelier de Cultura para o SESI – SP, O Homem de La Mancha foi premiado na categoria Melhor Espetáculo Teatral de 2014 pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), que também concedeu o prêmio de Melhor Ator a Cleto Baccic.

Por Mariana da Cruz Mascarenhas