Montada pela Sutil Cia de Teatro, a peça traz o conflito de espectadores dentro de uma sala de cinema com um toque exagerado para cada situação vivida que junto com um excelente jogo de expressão corporal mantém os olhos do público presos ao palco que mais parece um espelho diante da plateia, pois afinal o cenário é composto de poltronas que acomodam os personagens altamente influenciados pelos filmes vistos no telão, este fica por conta da imaginação da plateia de Cinema.

Mas para os espectadores da peça, não há motivo para se preocupar já que não é necessário nem ao menos se esforçar para descobrir a história que se passa de acordo com o áudio (na maioria das vezes em inglês) que faz referência a reprodução dos diversos “filmes” nacionais e internacionais sendo que as cenas passadas deixam claro através da interpretação dos atores a intensidade, a emoção e o gênero da suposta trama rodada.

Cinema tem um nível de apelação para o instinto interno de cada personagem, uma vez que eles trazem uma reprodução exagerada das emoções passadas através do que eles veem e ao mesmo tempo pode fazer parte dos espectadores que vão ao cinema e se envolvem com a trama internamente.