O filme Alice no País das Maravilhas traz uma visão totalmente diferenciada e inovadora com relação ao clássico da Disney que foi lançado em 1951. Dirigido por Tim Burton, a nova versão da obra de Lewis Carroll, oferece ao público um espetáculo de cores e cenários deslumbrantes que, vistos em 3D, acabam por trazer uma aproximação incrível com o que se passa no mundo de Alice.

 

Nesta trama a menina, que na verdade já é uma moça de 19 anos, não é tão inocente assim, e conforme vai enfrentando os conflitos que vão surgindo, ela vai conquistando cada vez mais um ar de sabedoria e esperteza.

 

A produção conta a história da jovem Alice (Mia Wasikowska) que ainda está duvidosa sobre que caminho seguir, pois todos passam o tempo todo lhe dando conselhos sobre o que fazer. Cansada de tudo isso, ela acaba fugindo no momento em que é pedida em casamento por um aristocrata tolo e a partir daí situações totalmente inusitadas começam a ocorrer, quando ela cai na toca de um coelho vestido de terno. Lá ela dá de cara com personagens como o chapeleiro maluco, interpretado por Johnny Depp, a Rainha de Copas que adora ordenar que cortem a cabeça de quem lhe desagradar, interpretada por Helena Bonham Carter, e a sua irmã: a Rainha Branca (Anne Hathaway), além de outros como uma lagarta azul que fuma narguilé.

 

Além de proporcionar todo esse visual deslumbrante, o filme conta com ótimas interpretações como as do ator Johnny Depp, no papel do chapeleiro maluco, que se consagrou como o rei da interpretação da excentricidade, juntamente com o diretor Tim Burton, memorável por dirigir filmes que saem totalmente do comum. Burton e Depp já estiveram presentes em outras esquisitices como Edward, Mãos de Tesoura e Sweeney Todd — O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet .