O campinho de futebol do Recreio Santista continua arruinado e impossibilitado de qualquer prática esportiva.

Há um ano, conforme matéria feita pelo Garoçá, a Prefeitura de Peruíbe jogou entulho no local e alguns acreditaram que ele seria prontamente reformado. O que não aconteceu.

Na época a Prefeitura informou, por meio de sua Assessoria, que providências seriam tomadas para a solução imediata do problema, mas hoje o mato toma conta do terreno que já serviu ao bairro.

Moradores, comerciantes, atletas amadores e outros contribuintes do município estão descontentes com a situação, como relata o pedreiro, Cesar Augusto. “Todo domingo eu via a molecada jogar futebol aí. Era gostoso de ver. Hoje, do jeito que está, duvido o Prefeito de Peruíbe ou o Secretário de Esportes jogarem aí“, desabafou.

O coordenador do Imperatriz F.C., Gilson dos Santos, disse que a falta de um local para treinamento está prejudicando a equipe que, atualmente, disputa o Campeonato Amador de Peruíbe: “O fato do campo estar parado prejudica tanto a parte financeira do clube, quanto da população, pois temos um projeto para tirar a molecada da rua e trazer para a prática esportiva, mas o campo, com esta situação que está, fica impossível dar andamento ao projeto“, disse.

Gilson também lamenta que os “políticos e vereadores da cidade” só apareçam na hora da campanha política. Porém, quando os moradores precisam, não aparece ninguém.  “Se tiver algum político aí pra gente conversar estamos à disposição”, convidou.

Veja outras fotos:

A Prefeitura de Peruíbe foi procurada e deu a seguinte resposta: 

“O campo de Futebol do Recreio Santista foi executado com um problema de nivelamento com o nível um pouco baixo em relação à rua. O campo precisa ter seu nível aumentado. Do jeito que está não permite um escoamento ideal das águas pluviais, pois não tem altura para a drenagem. Isso acumula água, provoca alagamento e atrapalha a pratica do futebol pela comunidade. Na época , o então responsável pela Regional da Vila Erminda começou a depositar material para levantar o nível do campo. É importante esclarecer que a Prefeitura ou a Regional não estão usando o campo como deposito de entulho. A Prefeitura não dispõe de aterro ou areia para nivelar o campo. Esse trabalho depende de material vindo de sobras de  serviços que a Prefeitura realiza ou de pessoas da comunidade que tenham disponibilidade de aterro ou material similar, e se disponham a doar para a comunidade. Nesse caso, a prefeitura disponibiliza as maquinas para o transporte e retirada. Estamos buscando uma solução para a comunidade do Recreio Santista.”

Veja a matéria feita há um ano:

Fotos: Prefeitura joga entulho e jogar futebol no campo do bairro ficou impossível

Texto e Reportagem: Márcio Ribeiro

Fotos: Márcio Ribeiro

Contato: ogaroca@bol.com.br