Foto Caio Gallucci

Ser bem-sucedido(a), formar uma família, ter uma vida estável…ser feliz. Preocupações típicas da transição da juventude para a idade adulta conturbam a mente de muitos, especialmente quando estes ainda não sabem ao certo qual caminho escolher. Mas será que os três primeiros itens são os únicos caminhos para a felicidade? Essas e outras questões são bem exploradas no musical Tick, Tick…Boom.

Com direção artística de Leopoldo Pacheco e de Bel Gomes e texto de Jonathan Larson – o mesmo autor do musical Rent, sucesso da Broadway – a peça aborda as inseguranças e inquietações de quem está prestes a completar 30 anos. No palco do Teatro FAAP, Bruno Narchi interpreta Jonathan, um jovem escritor de peças, morador de Nova York, cujo sonho é ver um de seus musicais se tornar sucesso. Enquanto o sonho não se concretiza, ele segue a escrever e a trabalhar como garçom, tentando conter a ansiedade sobre como será a repercussão de seu novo musical alternativo.

Faltando alguns dias para a estreia, ele ainda precisa lidar com outras preocupações: o desejo da namorada Susan (Giulia Nadruz) de morar com ele num lugar mais tranquilo, a pressão de seu pai para que o filho consiga “um emprego de verdade” e a insistência do amigo bem-sucedido profissionalmente, Michael (Thiago Machado), em marcar uma entrevista de emprego para Jonathan na agência de publicidade onde trabalha.

Diante de tantas pressões e prestes a completar 30 anos, o garoto é assolado por um barulho insistente de “ticks” em sua mente, semelhante ao tique-taque do relógio, como se tudo estivesse prestes a explodir.

Narchi, Giulia e Machado estão em perfeita sintonia, com uma atuação convincente e espontânea sobre as conturbações de três jovens diante de suas escolhas. Além dos papéis de amigos do protagonista, Giulia e Machado encaram outros personagens que vão aparecendo ao decorrer da peça. A atriz também se destaca por sua voz incrível.

Embora seja um musical, o espetáculo não deixa de tratar com bastante realismo a dramaticidade das preocupações características dessa idade, gerando uma grande empatia, especialmente nos espectadores mais jovens.

Aliás, tem sido cada vez maior o número de peças alternativas voltadas ao público mais jovial. O próprio Rent – escrito pelo mesmo autor e que também ganhou versão brasileira –, já se destacou entre esse público ao trazer questões como amizade, sexualidade, relacionamentos etc… No caso de Tick, Tick, Boom há uma lição deixada pelo espetáculo: independentemente de idade, o mais relevante é que cada um possa seguir aquilo que lhe faça feliz.

Num mundo marcado cada vez mais pelas pressões sociais e por líderes que não podem ser considerados os melhores exemplos a se seguir, uma questão é lançada pelo musical: “Presos ao chão ou livres para voar, qual será?” E você, qual escolha fará? Confira o espetáculo e tire suas conclusões.

Serviço:

Musical Tick, Tick… Boom

Onde: Teatro FAAP: Rua Alagoas, 903, Higienópolis, São Paulo – SP

Telefone: 3662.7233 e 3662.7234. Bilheteria: de terça a sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h.

Quando: quartas e quintas às 21h

Quanto: R$ 60 a R$ 80 (inteira). Vendas: faap.br/teatro

Até 31 de janeiro de 2019

There are currently no comments.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.