Resenha: A Lanterna de Nix

Resenha: A Lanterna de Nix

03/31/2022 0 Por Maxson Vieira

“Depois de uma época ruim, sempre vem uma época boa.”

 

Esse mangá é uma publicação em três volumes, da editora Pipoca e Nanquim que, em 2021 traz novamente para o Brasil uma obra da autora KanTakahama.

A Lanterna de Nix funciona como uma espécie de continuação de outro mangá da mesma autora, publicado em nosso país em 2019, o ótimo “O Último Voo das Borboletas”.

A história apresentada começa no ano de 1878, 10 anos depois do início da Era Meiji. Nesse período, o Japão iniciou a sua abertura para o resto do mundo, decorrendo em grande avanço econômico e tecnológico.

Nesse contexto, conhecemos a jovem Miyo. Ela perdeu seus pais e foi morar com seus tios na cidade de Nagazaki, onde logo é pressionada para arranjar algum trabalho. A garota é muito desastrada, não sabe ler e não aparenta nenhum talento. Mas secretamente, ela possui o dom de ver a história e os donos passados e futuros de qualquer objeto que toca. Dessa forma, para surpresa da família, Miyo consegue emprego numa loja de variedades do senhor Momotoshi (Sr. Momo). No emprego ela aprende a ler em japonês e inglês, fazer cálculos e tem contato com a cultura ocidental. Miyo tem a sua autoestima elevada ao perceber que é bastante útil, mas em determinado momento o Sr. Momo decide sair do Japão por tempo indeterminado e, com essa notícia, a garota sofre bastante.

Após algumas reviravoltas, parte da trama muda de cenário para a França. Numa época, conhecida como Belle Époque (termo em francês que significa Bela Época), a Europa, em especial a França, vivia o auge do desenvolvimento cultural e artístico. Com o grande interesse na cultura de outros países, ocorreu em Paris a Exposição Mundial, com produtos de vários países, incluindo o Japão. Com grande visão de negócios o Sr. Momo parte para Paris com a intenção de realizar transações entre Japão-França, e algum tempo depois Miyo recebe o convite para também ir ao exterior. A garota se assusta com a proposta. Afinal, ela é somente uma órfã que até pouco tempo atrás era analfabeta e desastrada. Como poderia ir para o exterior?

Essa foi uma das minhas melhores leituras do ano de 2021. Não é uma obra que traz grandes reflexões, mas é muito gostosa de ler. Poderia muito bem ser definida como uma novela de época, sendo leve, divertida, informativa e muito bem escrita. Durante a leitura fica claro que a autora pesquisou a fundo a relação comercial entre Japão e França nas últimas décadas do século XIX. No decorrer da trama é mostrado de forma bastante lúdica como alguns gadgets da época foram inseridos no Japão, e a descoberta europeia da arte oriental.

O roteiro é construído de forma bastante coesa e leve. Todos os núcleos são muito bem trabalhados, os personagens são muito bem construidos e a relação com “O Último Voo das Borboletas” é feita de maneira sutil e comovente. A autora, de forma bastante lúdica, nos leva a uma viagem pela história japonesa do final do século XIX, e acabamos a leitura com a sensação de “saber um pouco mais” sobre esse país.

O mangá pode ser dividido em 3 atos. No primeiro temos as ações ocorrendo inteiramente no Japão e em torno da Miyo. Aqui ela é mostrada como uma garota insegura e de baixo autoestima que começa a se desenvolver ao trabalhar na loja do Sr. Momo. Num segundo momento a história se divide entre um núcleo no Japão e outro na França. Nesse ponto descobrimos um pouco do passado do Sr Momo, das suas reais intensões ao voltar para a França e percebemos uma Miyo com muita segurança em suas atitudes. Na parte final do mangá, grande parte da história ocorre em Paris e as narrativas dos personagens se amarram.

A arte segue o mesmo padrão do roteiro. É simples, bonito e muito eficiente ao que se propõe. Algumas páginas são coloridas, o que gera um bonito contraste com o restante da obra.

A Lanterna de Nix, juntamente com O Último Voo das Borboletas faz parte de uma trilogia da autora. A editora Pipoca e Nanquim já sinalizou que tem o interesse em continuar publicando os mangás da autora, então muito provavelmente teremos o restante do material publicado no País.

Para quem gosta de histórias de época ou está simplesmente procurando algum material leve e divertido para ler, esse é um prato cheio.

A Lanterna de Nix é um mangá dividido em 3 volumes de capa cartonada e miolo com papel polenbold. Ao todo, possui mais de 1350 páginas, e cada exemplar custa R$ 69,90, mas pode ser facilmente encontrado com bons descontos na internet.