Home O Garoçá Curiosidades Ensaio Fotográfico: “Para evoluir é preciso passar por uma grande metamorfose”

Ensaio Fotográfico: “Para evoluir é preciso passar por uma grande metamorfose”

Ensaio Fotográfico: “Para evoluir é preciso passar por uma grande metamorfose”
0

 

 

 

    

 

ENSAIO FOTOGRÁFICO

“O fotógrafo pode tirar uma foto de algo que não entendeu plenamente ou, às  vezes, de algo que ele compreendeu parcialmente, que ele pode registrar para compreensão posterior. E o esclarecimento pode vir não apenas da sua compreensão enriquecida, mas também de um informante nativo.”

John Collier em Antropologia Visual: 
A fotografia como método de pesquisa (1973

“As fotografias, em geral, sobrevivem após o desaparecimento físico do referente que as originou: são os elos documentais e afetivos que perpetuam a memória. A cena gravada na imagem não se repetirá jamais. O momento vivido, congelado pelo registro fotográfico, é irreversível. As personagens retratadas envelhecem e morrem, os cenários se modificam, se transfiguram e também desaparecem. O mesmo ocorre com os autores fotográficos e seus equipamentos. De todo o processo, somente a fotografia sobrevive. Os assuntos nela registrados atravessaram os tempos e são vistos por olhos estranhos em lugares desconhecidos: natureza, objetos, sombras, raios de luz, expressões humanas, por vezes crianças, hoje mais que centenárias, que se mantiveram crianças.”

Boris Kossoy em Realidades e Ficções da
Trama Fotográfica (2000, p.33)

“É através do ensaio que o fotógrafo pode expressar com mais intensidade sua visão sobre determinado tema, e é importante que se sinta a singularidade que a presença do ponto de vista do autor permite ao trabalho. Ao mergulhar em um ensaio o autor se vê inserido em um processo que exige muito mais que a captura de imagens. Exige uma reflexão sobre a conexão entre estas imagens, sobre a edição que melhor pode expressar sua intenção no trabalho (tendo assim mais efeito que a simples exposição de tudo que se pode revelar a respeito do assunto em questão) e sobre a apresentação que seja mais eficiente para tocar o outro, seu apreciador”.

Hoffer (1983), citado no trabalho de Fiuza & Parente
(2008, p.171) e Márcio Ribeiro (2012, p. 28)

 

 

Publicação Original: Neurotopia  (www.facebook.com/neurotopia/)

Postagem : O Garoca, sob licença de Neurotopia

Observações: Sem legendas

Todo os direitos reservados

Citações

HOFFER, Mary Jane. Technical and aesthetic developments of the photoessay. New
York, Columbia University, 1983

FIUZA, Beatriz Cunha & PARENTE Cristiana. O Conceito do Ensaio Fotográfico.
Londrina 2008

JR, John Collier. Antropologia visual: a fotografia como método de pesquisa,
Universdade de São Paulo, 1973

KOSSOY, Boris. Realidades e Ficções da Trama Fotográfica, Ateliê Editorial 2000.

RIBEIRO da Silva, MÁRCIO. Aves de Peruíbe e a destruição do seu habitat, UniSantos, 2012

NEUROTOPIA, Neurotopia  (www.facebook.com/neurotopia/)

 

Márcio Ribeiro Sou Jornalista, Guia de Turismo, Monitor Ambiental, Técnico em Lazer e Recreação e Guia de Birdwatching. Sou um caiçara com orgulho das matas da Juréia. Trabalhei na Rádio Planeta FM, sou um dos fundadores do Jornal Bem-Te-Vi e participei de uma reunião de criação do Jornal do Caraguava. Fiz estágio na Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Peruíbe e no Jornal Expresso Popular, do Grupo "A Tribuna", de Santos, afiliada Globo. Fui Diretor de Imprensa na Associação dos Estudantes de Peruíbe - AEP. Trabalhei também em outras áreas. Atualmente, escrevo para O Garoçá, Editoria Livre e para a Revista Editoria Livre.

Deixe uma resposta