Foi realizado na segunda (dia 25) e terça (dia 26), na Escola Estadual Prof. Ottoniel Junqueira,  uma série de palestras sobre a instalação da usina particular da Gastrading nas matas de Peruíbe.

Na segunda, a vez foi de Rodrigo Wolpert, que atua no Condema (Conselho de Defesa do Meio Ambiente). Ele mostrou os problemas que a instalação deste empreendimento faraônico pode causar nas pessoas e os impactos /modificações que a cidade vai sofrer com a chegada da termoelétrica.

Entre vários aspectos e situações faladas, destaca-se a explicação de que Peruíbe vai ter uma grande ilha artificial criada para as operações dos navios que ficarão visíveis da praia de Peruíbe. Vai ser a maior ilha vista  da orla da cidade. Falou também que a cidade vai perder diversos empregos ligados ao turismo e o nosso ar vai ser afetado por conta da fumaça e poluentes que serão lançados na atmosfera.

Na terça, a voz foi da Gastrading que trouxe uma equipe para falar com os alunos: O jornalista Silvio Siqueira, dono de “O Repórter Regional”, um Engenheiro Químico e o fotógrafo de aves e da empresa, Bruno Neri, defensor do mega-projeto. Logo no começo, foi passada uma lista de presença que, imediatamente, foi refutada por uma aluna que levantou e disse ao microfone: “Não vou assinar esta lista. Ela está em branco e vocês podem fazer o que quiser aí depois com o nome da gente. Não assino!”, disse.

Entre os aspectos destacados, Siqueira falou, entre outras coisas, que a Usina vai gerar empregos para a cidade, não vai poluir as praias, ar, Guaraú, Barra do Una, nada! Disse ainda que a cidade vai ter dinheiro e condições  para investir no turismo e construir hospitais, por exemplo. Um aluno se mostrou preocupado com o Guaraú e o Barra do Una, mas Siqueira respondeu que não há perigo: “ Em Peruíbe, os ventos vem do sul e nunca ao contrário. É impossível que os poluentes atinjam estes bairros. A fumaça com os poluentes vai seguir para o norte”, disse ele.  Esta fala pegou muitos de surpresa e causou certa estranheza no público já que, anteriormente, ele falou que a usina não vai gerar nenhum tipo de poluente.

Os debates na escola aconteceram no período da manhã e também no período da noite. Ao final das apresentações, os microfones foram disponibilizados para perguntas onde os alunos puderam tirar dúvidas. De acordo com uma estimativa feita no local, é possível afirmar que 80% dos presentes se posicionaram contrários ao empreendimento.

Finalizando tudo, o coordenador da escola, Luis  Martinez Lopes,  agradeceu a presença dos palestrantes e disse que espera ter contribuindo com a informação e com a formação dos jovens de Peruíbe, proporcionando um debate democrático e imparcial, já que os dois lados foram ouvidos.

Audiência Pública

A Audiência Pública da Usina Termoelétrica está marcada para acontecer amanhã, dia 28 de setembro, no Palace, localizado à Avenida 24 de Dezembro, 30, no Centro, em frente à Sabesp, a partir das 18 horas.

A presença de todos é muito importante.

Reportagem: Márcio Ribeiro

Foto: Luis Martinez Lopes

[email protected]

MTB 0078407

 

 

 

There are currently no comments.