Desde que passamos ao mundo das publicações digitais, diminuímos a pressão psicológica que nos forçava a produzir

No jornalismo impresso existe um momento chamado de dead end, que são os minutos finais antes do fechamento da edição. Depois que todo mundo entrega sua contribuição – textos, fotos, charges, etc – o material será diagramado e seguirá para a impressão. Algo semelhante acontecia com os fanzines. Apesar de serem edições amadoras, sem muitos recursos, também havia um prazo para a entrega do material. Quem não estivesse com o seu conteúdo pronto até o fechamento, ficaria de fora.

página do Fanzine Várias Variáveis

Página do Várias Variáveis desenhada por Francismar Ribeiro

Pode parecer bobagem, mas isso mexia com o ego. No caso do jornalismo profissional, há uma obrigação de cumprir os prazos, afinal, você assinou um contrato e recebe para isso. Em se tratando dos fanzines, todo mundo publicaria naquela edição, ninguém queria ficar de fora. Esse era o grande motivador que nos levava a correr contra o tempo e entregar todo o material dentro do prazo permitido.

Com os blogs isso mudou. Não existe mais o “fechamento da edição”. Você pode publicar a qualquer instante, os posts não precisam – necessariamente –  de amarras, as publicações são muito mais rápidas. O problema é que tudo isso gerou problemas quanto à periodicidade. É normal ver uma série de publicações num blog amador que acaba de estrear. Difícil é manter essa periodicidade por muito tempo.  Aí, todos nós temos a brilhante ideia de chamar algum amigo para colaborar. Não dura muito tempo e acontece a mesma coisa.

Capa do Várias Variáveis

Capa do Várias Variáveis desenhada por Rafael Neves

Temos os problemas da vida pessoal: escola, faculdade, trabalho, amigos, família, namoro. É difícil se comprometer a escrever periodicamente. Além do mais, sobre o que devo escrever? Quem vai ler o que estou escrevendo? E quando não há retorno, não há comentários, não se ganha nenhum tostão com isso, qual a motivação para continuar? Eu continuo porque preciso aperfeiçoar a minha escrita, porque preciso me expressar – mesmo que ninguém leia – porque me serve de terapia, porque faz com que eu me sinta bem. Era assim com o já citado Várias Variáveis, foi assim em alguns portais que escrevi, foi assim até em uma das emissoras de rádio em que trabalhei.

Mas devo admitir que os atrasos são constantes. Nem sempre consigo publicar aquele artigo que tenho em mente, nem sempre consigo transcrever aquela entrevista a tempo. A periodicidade passa a ser artigo de luxo. Mas continuo fazendo. Porque é isso que eu sou.

José Fagner Alves Santos

Este artigo faz parte da campanha #PEDAblogBR.