Da: Assessoria de imprensa

O prefeito de Peruíbe, diante da não renovação do convênio com o Estado referente à merenda, presta esclarecimentos importantes sobre essa questão.
Segundo o prefeito, ele tem tratado do tema com extrema preocupação, inclusive participando de reuniões com a Diretora Regional de Ensino, Regina Spada. Afirma que, entretanto, na última terça feira (14), essa mesma diretora de ensino fez uma reunião com os diretores de escola estaduais de Peruíbe, com a presença de alguns vereadores. Nessa reunião, diz ele, foi criticada a minha decisão, falado que há riscos de não ter merenda nas escolas estaduais no inicio do próximo ano letivo (apesar de estarmos noticiando com bastante antecedência e termos a garantia da Secretaria de Estado de que isso não ocorreria) e ameaças veladas quanto a manutenção de outros repasses do Governo do Estado a Peruíbe, induzindo diretores de escolas e alguns vereadores a pressionarem a administração municipal.
Na qualidade de prefeito, Luiz Mauricio afirma que estará encaminhando uma reclamação formal ao Governador Geraldo Alckmin sobre a atitude da Diretora Regional de Ensino.

Nota Oficial:

O prefeito Luiz Mauricio vem a público esclarecer as razões pelas quais não está renovando o convênio com o Governo do Estado referente ao fornecimento da merenda nas Escolas Estaduais.

O gasto do Município por refeição é de R$ 2,10, enquanto o Governo do Estado repassa apenas R$ 0,94 por aluno no ensino regular e R$ 3,68 no período integral. O valor repassado pelo Governo do Estado não contempla a integralidade do valor pago pelo município.

Inegavelmente, o município de Peruíbe vem arcando com a maior parte de uma responsabilidade que não é sua. O impacto no orçamento do município é de aproximadamente R$ 2 milhões.

Estamos tratando desse assunto desde o início do segundo semestre. Estive junto com nossa Secretária Municipal de Educação na sede da Secretaria de Estado de Educação pleiteando o aumento de repasse para minimizar os gastos com a merenda do Estado.

Recebemos como resposta que o Governo do Estado tem consciência da grande diferença de valor entre o que pagamos por refeição e o que o Estado repassa, porém esse mesmo Governo nos informou que eventual aumento no repasse está em estudo, mas não garantiu se isso ocorreria em curto prazo.

Fomos informados que caso não fosse possível renovar o convênio com o município, o Governo do Estado estaria disposto e em condições de assumir esta tarefa, fornecendo a merenda de qualidade diretamente nas escolas estaduais em 2018.

Por esses motivos formalizamos que não renovaríamos o convênio no final do mês de setembro, para que o Governo do Estado tivesse tempo para assumir o serviço a partir do próximo ano letivo.

Tomamos essa medida para garantir mais recursos para investimento na nossa cidade. O recurso que era investido na merenda das escolas do Estado será aplicado em nossa cidade para melhoria das condições de vida de toda população.

Vale ressaltar que essa medida não é uma ideia nova e tem sido adotada por parte significativa das prefeituras do Estado de São Paulo. Caso o Governo do Estado melhore os valores repassados, cobrindo nosso custo, poderemos retomar o atendimento de imediato.

Como Prefeito de Peruíbe, serei o primeiro a exigir que o Governo do Estado ofereça a todos os alunos da rede estadual uma merenda com a mesma qualidade que fornecemos aos alunos da rede municipal.

Veja a repercussão  nas redes (anti) sociais

Washington JE: “Os alunos das escolas estaduais não são moradores de Peruíbe? Ninguém mora no Estado, vivemos no município. Falta de sensibilidade e responsabilidade com os munícipes”.

Cláudio Maya: “A rede Estadual sempre foi assim…e agora que apareceu um Prefeito que “bateu de frente” com o Estado para que algo melhore nesse sentido, aparece gente para criticar o cara. Será que é mania ou preguiça de ler a matéria até o fim? Ou se leram, certamente é má interpretação de texto mesmo! Parabéns Prefeito. O senhor fez o que outros já deveriam ter feito anteriormente e se omitiram!”

Washington JE : “O bom senso e bom entrosamento entre a esfera municipal e estadual que são do mesmo partido, não deixaria sobrar para os alunos que é a parte mais fraca da corda. O município não está errado em cobrar, mas será que esse é o bom entendimento entre as partes? Sempre se bicando??????”

Eduardo Jorge : “Vamos acordar ? Por que as escolas municipais não desfilaram no 7 de setembro ? O Kalil é uma escola referência que sequer fez festa junina, por quê? O Barão outra escola referência teve sala de aula de aula que ficou mais de dois meses sem professor. É culpa do governo do Estado?”

João Silva: “Será que não é algum acordo para lançar uma outra empresa de algum amigo do prefeito? Ou vem aí a “farinata””

Cláudia Maya: .“O que eu acho que muitos não entenderam é o fato de esse problema sempre ter existido aqui. Outro fato também não entendido é o valor repassado pelo Estado e o valor do custo de cada merenda, de acordo como está no texto da Administração nesse tópico. Assim sendo, fica difícil manter um padrão decente na merenda mesmo. O que eu não estou entendendo é o fato de esse problema já vir de anos aqui no Municipio e agora que aparece alguém sendo transparente anti o problema e “brigando” para melhorar essa situação, é apredrejado literalmente! Vai entender…”

Texto: Assessoria de Imprensa

Imagens: Pixabay

Postagem: Márcio Ribeiro

[email protected]

 

 

 

 

There are currently no comments.