Peruíbe, Itanhaém e Mongaguá estão entre as 10 cidades mais violentas do estado de São Paulo, de acordo com o estudo divulgado pelo Instituto Sou da Paz. Veja, no final desta reportagem, o que disse a Prefeitura de Peruíbe em resposta aos números.

A cidade de Lorena, no Vale do Paraíba, lidera o levantamento da organização não governamental (ONG), que analisou boletins de ocorrência de homicídio, estupro e crime patrimonial em 138 municípios paulistas, aqueles com população acima de 50 mil habitantes. Os dados são de 2017.

O índice  foi calculado a partir de procedimentos estatísticos complexos:

Criação de taxas de crimes:  Cruzaram-se números absolutos dos índices criminais da Secretaria da Segurança Pública (SSP) com o número da população em municípios com mais de 50 mil habitantes;

Números-Índice: foram criados valores de 0 a 100 para cada tipo de crime, levando-se em consideração um cálculo envolvendo taxa populacional;

Subindicadores compostos: alguns crimes ganharam índices de gravidade para serem posteriormente usados nos cálculos acima.

Confira a lista das dez cidades mais violentas do estado e seus respectivos índices, segundo o Sou da Paz, lembrando que o ranking surgiu a partir da criação do Índice de Exposição a Crimes Violentos (IECV).

O relatório do Sou da Paz sugere que Lorena, Itanhaém, Ibiúna, Caraguatatuba, Peruíbe, Itapevi, Guaratinguetá e Andradina precisam de investimentos para coibir esses índices criminais revelados pelo IECV.

Clique aqui e Veja a notícia na íntegra, veiculada pelo  Sou da Paz

 

O que disse a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo:

Em resposta ao G1:  “A SSP reforça a importância da realização de estudos independentes voltados à compreensão das questões de segurança pública, no entanto, desaconselha o rankeamento de unidades policiais ou mesmo municípios apenas pela utilização de indicadores criminais, sem levar em consideração características geográficas, sazonais e sociais, por exemplo.

Em Lorena, as ações das polícias possibilitaram que no ano de 2017 os homicídios dolosos caíssem 6,66%, com cerca de 50% dos casos esclarecidos. Os roubos (incluindo carga e banco) também reduziram 33,3%. Está em andamento um projeto de reforma da Delegacia do Município.

No 12º DP (Pari), todos os meses são realizadas operações para coibir a criminalidade, como exemplo a que ocorreu na última quinta (25), com apoio da 1ª Seccional, resultando na prisão de oito suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas. Importante dizer que os latrocínios registrados no ano passado foram esclarecidos.

Quanto aos crimes de estupro, são realizadas campanhas em parceria com diversos órgãos que incentivam o registro formal das ocorrências, sendo um dos motivos do aumento dos índices. Todos os policiais são devidamente capacitados a lidar com esse tipo de assunto.”

O que disse a Prefeitura de Peruíbe

Em resposta ao Garoçá: “A Prefeitura de Peruíbe questiona os critérios e a metodologia adotada no relatório do Instituto Sou da Paz, divulgado pela mídia, posicionando a cidade como a quinta mais violenta do estado de São Paulo.

Essa informação não condiz com a realidade. Como é de conhecimento da sociedade, cidades de outras regiões apresentam números muito mais expressivos, conforme veiculado na imprensa rotineiramente. De acordo com dados estatísticos, Peruíbe e as cidades da Baixada Santista não são as mais violentas. 

Portanto, a Prefeitura de Peruíbe manifesta seu inconformismo com a divulgação desse relatório, questionável em seus resultados, e que pode representar prejuízos ao turismo da cidade. 

A Prefeitura implantou monitoramento por câmeras em vários pontos, dentro do Programa “Peruíbe Mais Segura”, e já conseguiu realizar flagrantes importantes sobre ameaças ao patrimônio público e a população, atuando em colaboração com as Policias Militar e Civil. 

“Há três tipos de mentira; a pequena, a cabeluda e a estatística.” – Ariano Suassuna.

Dados estatísticos oficiais da Secretaria de Segurança Pública que se contrapõem ao divulgado e demonstram a realidade dos fatos:”

Em Respota, prefeitura de Peruíbe enviou gráfico para O Garoçá

 

Reportagem e Texto: Márcio Ribeiro

Foto: Amo Direito

Fonte: G1 e Sou da Paz

ogaroca@bol.com.br