Estudantes do período noturno, da escola Ottoniel Junqueira, ficam diariamente mais de uma hora esperando o ônibus da empresa Jundiá. Se não bastasse a demora, não há segurança nas ruas, falta iluminação e um abrigo adequado para o minimo de conforto para uma espera tão demorada.

Muitos alunos estão desistindo, por causa da enorme demora, mas aqueles que querem estudar perto de casa acabam barrando em outro problema: A maioria das escolas de Peruíbe não está funcionando no período noturno: Luiz Abel, Carmem Miranda e São joão só funcionam de tarde e de manhã, restando como opções o Maya, José Batista, Pereira da Rocha, além do Ottoniel. A maioria das escolas citadas não oferecem o ensino em todas as séries.

Quem precisa voltar para o Vila Erminda está chegando no mesmo horário que os ônibus da AEP, que levam os estudantes universitários para Santos, o que é um absurdo! Como um aluno sai às 23 horas de Santos e chega junto (ou antes) do que quem sai no mesmo horário e estuda em Peruíbe?

A Assessoria de Imprensa de Peruíbe ficou de enviar uma resposta mas, uma semana após a solicitação, nada fizeram. A reportagem também entrou em contato com a empresa Jundiá, mas nenhuma reposta foi dada para esclarecer a população de Peruíbe.

O povo pede que medidas sejam tomadas o mais breve possível para melhorar a situação, já que a única razão dos ônibus existirem é servir à população.

Reportagem: Márcio Ribeiro

Foto: Adam X

Colaboração: Jota Fagner

ogaroca@bol.com.br

MTB: 0078407