O Contato!

Ele acordou durante a noite e saiu pela rua deserta. Apenas as luzes dos postes nas poucas ruas da zona rural e o tenebroso silêncio da madrugada. As nuvens, meio avermelhadas, mostravam o contorno da crista da Serra do Mar. Uma estrela bonita e de brilho intenso começou a ficar mais forte até se aproximar sem que ele percebesse e começou a acompanhar a caminhada daquela alma triste e solitária. De repente, um forte ruído e outros zumbidos chegaram ao seu ouvido com vontade de lhe espedaçar o cérebro, que ele traduziu assim: “Afaste-se dos covardes! Não adianta se esconder … Continue lendo O Contato!