Neste ano a grande festa da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas norte-americana veio com prêmios para filmes que nos remeteram aos primórdios da história do cinema, de modo que a simplicidade cinematográfica falou mais alto.

A produção com mais indicações ao Oscar (11 no total), A Invenção de Hugo Cabret, de Martin Scorcese, levou cinco estatuetas nas categorias de melhor mixagem de som, edição de som, fotografia, efeito visual e direção de arte. O filme de Scorcese abordou um pouco a história do cinema prestando homenagem ao grande ilusionista francês Geórge Meliés, que introduziu os efeitos especiais nas produções cinematográficas, além da trama trazer um pequeno trecho do primeiro filme apresentado à humanidade.

Mas o destaque da 84o Festa da Academia foi para o filme do diretor francês Michel Hazanavicius, O Artista, que conquistou 4 das 10 indicações incluindo melhor diretor para Hazanavicius, melhor ator para Jean Dujardin, melhor trilha sonora e encerrou a noite do Oscar conquistando o prêmio de melhor filme. O Artista foi rodado em preto e branco e sem falas, prestando uma homenagem ao cinema da década de 20, além de enfatizar a passagem do filme mudo para o falado. Com baixo orçamento, o filme encantou plateias com a simplicidade de sua história – um grande astro de Hollywood que entra em decadência com a chegada do som ao cinema, e que se apaixona por uma garota que vira atriz e se torna o grande sucesso do cinema falado.

A entrega do prêmio principal para O Artista certamente foi e ainda será, por muito tempo, assunto entre cinéfilos e não cinéfilos, já que uma produção simples e fundamentada em filmes da década de 20 passou a frente de outras grandes produções feitas com um imenso aparato tecnológico.

Neste ano a cerimônia do Oscar não trouxe grandes surpresas, pois muitas premiações já eram esperadas, como grande parte dos prêmios arrematados pelo filme A Invenção de Hugo Cabret e O Artista – apesar de muitos terem apostado em “Hugo” como melhor filme. Além desses, outros momentos já esperados foram a entrega do Oscar de melhor filme estrangeiro para A Separação, melhor maquiagem para A Dama de Ferro, que contou a vida da primeira-ministra inglesa Margaret Tatcher, interpretada por Meryl Streep, que retratou a vida da protagonista na velhice e na juventude e contou, para isso, com uma maquiagem que lhe conferiu uma transformação impecável para fazer a Tatcher envelhecida.

Outra esperada e merecida premiação foi a entrega do Oscar de melhor atriz a Meryl Streep, que se emocionou em seu discurso. Ela já foi indicada 17 vezes a estatueta, sendo a recordista em indicações, e não era premiada na categoria há 29 anos.

Outros momentos memoráveis foram a entrega de estatueta de melhor atriz coadjuvante – para Octavia Spencer de Histórias Cruzadas, que se emocionou muito com a entrega do prêmio – e de melhor ator coadjuvante – para Christopher Plummer de Toda História de Amor, que com 82 anos se tornou o ator mais velho a ganhar um Oscar.

Por Mariana Mascarenhas

Confira todas as premiações:

Melhor Fotografia – A Invenção de Hugo Cabret
Melhor Direção de Arte – A Invenção de Hugo Cabret
Melhor Figurino – O Artista
Melhor Maquiagem – A Dama de Ferro
Melhor Filme Estrangeiro – A Separação
Melhor Atriz Coadjuvante – Octavia Spencer, Histórias Cruzadas
Melhor Edição – Millenium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres
Melhor Edição de Som – A invenção de Hugo Cabret
Melhor Mixagem de Som – A Invenção de Hugo Cabret
Melhor Documentário – Undefeated
Melhor Longa de Animação – Rango

Melhores Efeitos Visuais – A Invenção de Hugo Cabret
Melhor Ator Coadjuvante – Christopher Plummer, Toda Forma de Amor
Melhor Trilha Sonora – O Artista
Melhor Canção Original – “Man or Muppte” – Os Muppets
Melhor Roteiro Adaptado – Alexander Payne, Nat Faxon e Jim Rash, Os Descendentes

Melhor Roteiro Original – Woody Allen, Meia Noite em Paris

Melhor Curta Metragem – The Shore
Melhor Curta de Documentário – Saving Face
Melhor Curta de Animação – The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore
Melhor Direção – Michel Hazanavicius, O Artista
Melhor Ator – Jean Dujardin, O Artista
Melhor Atriz – Meryl Streep, A Dama de Ferro

Melhor Filme – O Artista