Foto Marcelo Rodolfo

Já somos mais de 214 milhões de brasileiros vivendo num país marcado pela diversidade de cores, classes, etnias, cultura entre tantos outros fatores.  No Brasil da heterogeneidade, são inúmeras as riquezas que nos orgulham de sermos verde e amarelo. É o caso da própria cultura brasileira, por exemplo: embora, por muitos anos, tal conceito tenha sido abordado de forma diferenciada em relação à cultura erudita e à popular – a primeira era associada às manifestações artísticas mais voltadas para a elite e a segunda às tradições regionais –, é imprescindível pensá-las de forma integrada.

Alguns nomes consagrados da arte brasileira já se encarregaram de ressaltar a riqueza de tal mistura e como ela nos define. Nascido na Paraíba, no ano de 1927, o grande escritor e dramaturgo brasileiro Ariano Suassuna (1927 – 2014) foi um dos maiores reconhecedores das artes populares, caracterizando-se por produzir uma arte erudita a partir de elementos oriundos da cultura popular nordestina. No ano de 2017 ele completaria 90 anos e, para homenageá-lo, a Cia. Barca dos Corações Partidos traz para o palco do Teatro Porto Seguro o musical Suassuna – O Auto do Reino do Sol.

O espetáculo busca inserir a plateia no encantador universo literário deste que foi um dos maiores escritores brasileiros, não por meio de uma dramaturgia biográfica, mas por uma divertida e emocionante história fictícia cujo cenário é o sertão nordestino, tão retratado nas obras de Suassuna – especialmente numa de suas maiores produções: O Auto da Compadecida.

Com canções inéditas de Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Penho, encenação de Luiz Carlos Vasconcelos e texto de Bráulio Tavares, a peça conta a história de uma trupe de circo-teatro que percorre o sertão nordestino rumo à cidade de Taperoá, na Paraíba. Durante o trajeto, os artistas se apresentam pelos lugares por onde passam e acabam conhecendo um casal de apaixonados que se integra à trupe, por estarem foragidos de suas famílias rivais.

Em meio aos confrontos entre coronéis, retirantes e jagunços, um cenário infelizmente tão típico na vida real, a Cia rompe com a dramaticidade presente por meio de suas apresentações. Cenário e roupas coloridas também contribuem para a comicidade do musical, que ganha um tom de leveza e alegria por meio de uma imersão gradativa no mundo dos personagens de Ariano Suassuna.

Não há como não se divertir, não se emocionar e não dar altas risadas, embalados pelo ritmo tão envolvente da peça, graças não somente ao excelente texto, como ao trabalho impecável do elenco em suas falas e na expressão corporal, criando um universo apaixonante, que nos ajuda a nos encantarmos ainda mais pelo Brasil retratado por Suassuna.

Idealizada pela produtora Andrea Alves, da Sarau Agencia, a peça já percorreu outros lugares além de São Paulo e foi premiada 21 vezes, incluindo o Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) – Melhor Espetáculo –, o Prêmio CESGRANRIO – Melhor Espetáculo, Direção Musical (Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Penho), Figurino (Kika Lopes e Heloísa Stockler) e Ator em Musical (Adrén Alves) –, o Prêmio Shell – Melhor Música (Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Penho), Figurino (Kika Lopes e Heloísa Stocker) e Melhor Autor (Braulio Tavares) –, entre outros.

Serviço:

Suassuna – O Auto do Reino do Sol

Onde: Teatro Porto Seguro*: Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo. Telefone (11) 3226.7300. Bilheteria: De terça a sábado, das 13h às 21h e domingos, das 12h às 19h.

Quando: sextas e sábados, às 21h e domingos, às 19h

Quanto: R$ 80,00 plateia / R$ 50,00 balcão e frisas

Até 23 de setembro de 2018

*O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro. COMO PEGAR: Na Estação Luz, na saída Rua José Paulino/Praça da Luz/Pinacoteca, vans personalizadas passam em frente ao local indicado para pegar os espectadores.