Expressa das mais variadas e diferenciadas formas, a arte se faz presente em quase todos os lugares. Poder contemplá-la a partir de olhares distintos, baseados nas próprias percepções e formações culturais de cada observador, é o que confere uma riqueza ainda maior às obras artísticas, ampliando a compreensão de artes, que nunca é delimitada. E o que dizer quando as múltiplas artes se mesclam numa conjuntura perfeita para contemplação por quem as observa? É o que acontece na exposição A Vila do Sino, que une poesia e pintura para dar vivacidade a uma vila típica do interior de Minas Gerais.

A ideia da mostra surgiu de um diálogo entre o artista plástico Geraldo Lacerdine e o escritor André Araújo, que resolveram resgatar um pouco da cultura mineira, já que ambos nasceram no Estado de Minas Gerais, segundo conta Lacerdine. A partir de poemas escritos por Araújo, Lacerdine passou a ilustrá-los por meio de suas próprias pinturas. A mostra consiste, portanto, na exposição desses poemas e suas respectivas ilustrações, com exceção da pintura que retrata a vila.

Logo no começo da exposição, somos contemplados com essa grande pintura intitulada A Vila, a qual nos traz um cenário típico das cidades interioranas de Minas Gerais, com uma igreja ao meio, o Cruzeiro e algumas casas ao redor. A seguir somos convidados a conhecer os moradores dessa vila, que são retratados em diferentes pinturas, já que o objetivo da mostra é justamente contar a história de cada personagem.

Um elemento em comum em muitos dos quadros onde aparecem os personagens é a presença do sino ao fundo. Trata-se do sino da igreja que marca de alguma forma a vida de cada um. Por meio dos olhares, posturas e gestos ilustrados nas imagens, acompanhados dos poemas, identificamos as tristezas, medos, enfim, podemos enxergar o interior dos moradores pela vivacidade das ilustrações.

 

Fotos: Mariana Mascarenhas. Clique nas imagens para ampliá-las

Assim, A Vila do Sino é um convite para refletirmos e descobrirmos, por meio da arte, a beleza e a riqueza singulares, características da vida simples de um povo de tantos interiores, onde o sino da igreja toca, ecoando na vida de cada um, ao seu modo, e marcando a ligação desses moradores com o sagrado. A exposição está no Conjunto Nacional, onde fica em cartaz apenas até o dia 6 de agosto de 2018.

Serviço:

A Vila do Sino

Onde: Conjunto Nacional: Avenida Paulista, 2073, Consolação, São Paulo (SP)

Quando: segunda a sábado, das 7h às 22h; sábados e domingos, das 10h às 22h

Quanto: Grátis

Até 6 de agosto de 2018