Que o jornalismo digital é o futuro da profissão ninguém tem dúvidas. O problema que ainda não se resolveu é, Qual a fórmula para validar um empreendimento digital? Ninguém sabe.

Vez por outra encontramos algum blog de um desses gurus de internet prometendo ensinar o caminho das pedras se você comprar o vídeo curso “X” ou o ebook “Y”. Tudo balela, os grandes, pequenos e médios jornais ainda estão penando para não fecharam.

Já falei disso outras vezes, se os ditos gurus tivessem “A fórmula” já teriam vendido para algum grande jornal do Brasil ou do mundo. Espero que você, amigo leitor, esteja consciente disso.

Acabo de ler um artigo escrito pelo Carlos Castilho e publicado no Observatório da Imprensa, intitulado “Os desafios da sustentabilidade do jornalismo em comunidades” (veja aqui). Apesar do eco no título o autor levanta algumas questões importantes sobre a sustentabilidade desse tipo de empreendimento.

Toco no assunto porque, recentemente, Vicente Andrade, um jornalista amigo meu, resolveu retornar à nossa cidade natal. Sua intenção era a de montar um empreendimento jornalístico, digital, que se diferenciasse dos já existentes na região. Como a maior parte dos blogs regionais cobrem a editoria policial ele pensava em cobrir questões socioculturais. O blog foi criado (veja aqui), mas a renda mensal que está gerando, até o momento, não dá para pagar um servidor de hospedagem.

Quais seriam as soluções possíveis? Eu ainda não sei. Ainda é necessária muita discussão a respeito desses assuntos. Ainda se faz necessário testes e mais testes. Mas eu já começo a ver uma luz no fim do túnel. Espero que não seja um trem.

José Fagner Alves Santos

Este artigo faz parte da campanha #PEDAblogBR.