Dirigida por Charles Möeller e Claudio Botelho, Gypsy é uma adaptação do musical que estrelou na Broadway em 1959. A trama narra a história de Rose, uma mãe disposta a fazer de tudo para ver sua filha brilhar nos palcos. No entanto, a medida que o tempo passa sua ambição continua, e ela não percebe que sua menina, na verdade já é quase uma mulher e não quer mais fazer as vontades da mãe, pois ela amadureceu e quer viver essa nova fase da vida e por isso acaba fugindo.

 

Após a fuga, a mãe passa a depositar todos os seus desejos na outra filha, interpretada por Adriana Garambone, que realiza os mais inusitados papéis para conseguir sucesso até se tornar a stripper Gypsy Rose, em um ato desesperado, para conquistar a tão sonhada fama que sua mãe lhe desejara e também ajudar a pagar as despesas da casa.

 

A briga constante entre mãe e filha por conta da forte influência da primeira está claramente explícita na peça. Composto por 38 atores, 18 trocas de cenário e 140 figurinos, o musical investe mais na atuação do que nos elementos de palco, principalmente quando se trata da incrível atuação de Totia Meireles, que acaba por roubar a atenção dos demais atores em muitos momentos da peça. Acredito até mesmo, que o musical ganha um toque especial com a forte dramatização que ela confere ao papel de mãe com personalidade extremamente forte.

 

Vale a pena conferir essa grande produção que permanece em cartaz no teatro Alfa até 17 de outubro.