Publicado em abril de 2016

Por Mariana da Cruz Mascarenhas

Um musical marcado pela mistura de cores, figurinos, coreografias e cânticos transformam o palco do Teatro Procópio Ferreira e, em alguns momentos, parecem transportar a plateia para a terra do acarajé, do povo acolhedor e das belezas naturais.  Sim, falo da Bahia, mas não se trata de um espetáculo que aborde esse estado encantador, mas sim de um astro musical que surgiu dele, mais especificamente de sua capital, Salvador.

Verdadeiro ícone da Música Popular Brasileira (MPB), o baiano Gilberto Passos Gil Moreira, mais conhecido como Gilberto Gil, encantou e continua a encantar diferentes gerações do Brasil, graças a seu repertório musical inovador e inteligente, cujas letras nos convidam a fazer uma reflexão sobre a sociedade em que vivemos em prol de cultivar a paz.

Portanto, seu talento e brilho artísticos serão sempre merecedores de grandes homenagens como a que acontece no musical Gilberto Gil, Aquele Abraço, com direção de Gustavo Gasparani. A peça não se resume a uma abordagem biográfica do cantor e compositor, mas sim a fazer um tour pelas obras musicais do artista. Porém, também não se trata unicamente de uma espécie de show em tributo a Gil, mas de uma viagem pelos contextos históricos, lugares e narrações de modo geral embaladas pelas canções.

Para isso, oito atores músicos multi-instrumentistas compõem o elenco do musical mesclando falas, cantos, coreografias e encenações e avivando assim as letras proferidas por Gilberto Gil, de modo a exaltar ainda mais o espírito poético e cênico tão vivo dentro do cantor.

Vale destacar a multiplicidade de talentos artísticos presente no elenco, aprimorando a contemplação das músicas de Gil pela plateia e de um olhar contemporâneo sobre o surgimento da MPB, regime militar e a revolução artística marcada especialmente pela tropicália – movimento de ruptura que revolucionou o ambiente musical ao expressar uma visão contestadora das dominações tradicionalistas e conservadoras impostas ao Brasil até então. Teve entre seus destaques os cantores-compositores Gilberto Gil e Caetano Veloso, que procuraram universalizar a MPB, trazendo elementos da cultura pop mundial como o rock e a guitarra elétrica.

Com mais de 50 anos de carreira, quase 60 discos lançados, ganhador de prêmios Grammys, Gilberto Gil é mais um fenômeno que integra a lista de grandes artistas brasileiros já homenageados em peças musicais, assim como Cazuza, Rita Lee, Tim Maia, entre outros, mostrando a verdadeira riqueza cultural artística brasileira, orgulho para todos nós.