Foto Mariana Mascarenhas / Da esquerda para a direita: Irmã Helena Corazza, Dom Odilo Pedro Scherer, o jornalista Márcio Campos, a mestra em Comunicação Glaucya Tavares e Dom Devair Araújo. 

Neste 13 de maio de 2018, será celebrado o 52º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Para este ano, o Papa Francisco propôs o tema “A verdade vos tornará livres. Fake News (Notícias Falsas) e jornalismo de paz”. A data foi instituída em 1967 pelo Papa Paulo VI, com o objetivo de ajudar a Igreja e a sociedade a refletir algum tema específico da comunicação.

Para comemorar essa data, a Arquidiocese de São Paulo e as Paulinas promoveram, no dia 26 de abril, às 19h30, o evento “#caiunarede”, que contou com a participação do arcebispo de São Paulo, cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, e o vigário episcopal da Comunicação pela Arquidiocese de São Paulo, Dom Devair Araújo, para falarem sobre o perigo de propagação das notícias falsas. Também discorreram sobre o tema os convidados Márcio Campos, repórter da Rede Bandeirantes, e Glaucya Tavares, Mestra em Comunicação. O Grupo “Ir ao Povo” fez a animação musical ao longo do encontro.

Apresentado pela Irmã Paulina, Helena Corazza, Mestra e Doutora em Ciências da Comunicação e Diretora do Serviço à Pastoral da Comunicação (SEPAC), o evento aconteceu no SEPAC Paulinas e foi voltado para pessoas ligadas à comunicação de modo geral.

Logo na abertura, Dom Odilo ressaltou que as notícias falsas sempre existiram, mas que, no momento atual, estão sendo difundidas numa proporção muito maior, graças aos meios digitais; e que as chamadas Fake News, muitas vezes, são elaboradas, propositadamente, para atender a interesses políticos, econômicos, entre outros, podendo trazer grandes danos morais, políticos e sociais.

Diante disso, o cardeal ressaltou o convite que nos foi feito pelo Papa Francisco a não colaborar com a difusão de notícias falsas – sempre buscando em outras fontes a informação divulgada: “O Papa nos convida a encarar a verdade. Quem busca a verdade não tem o que temer”. A importância de duvidar dos conteúdos antes de compartilhá-los de modo imediato, criar uma cultura do diálogo, entre outras questões, também foram abordadas pelos demais palestrantes ao decorrer do encontro.