Escrita por Caio Fernando de Abreu (1948 – 1996) – um dos grandes escritores e dramaturgos brasileiros, famoso por retratar a sociedade sob um prisma dramático, sempre abordando temas como morte, sexo e solidão – a peça Dama da Noite é um monólogo que traz a história de uma mulher da noite que resolve trocar a vida noturna pelo dia e sofre arduamente por se sentir excluída do mundo em que vive.
O ator Luiz Fernando Almeida é quem se destaca no papel da protagonista, encarando uma personagem cercada de angústias e aflições por enxergar tudo ao seu redor como uma grande roda gigante, composta por seres humanos obstinados a viverem uma rotina pacata e totalmente privada de liberdade, se valendo de falsidade, moralismos e estereótipos discriminatórios, para se equilibrarem na roda e conquistarem uma alta posição.
Realizado no Espaço Cultural Pinho de Riga, o espetáculo acontece em um ambiente composto por poucos lugares, o que facilita para a concretização de um dos propósitos da peça que é proporcionar total interação com cada integrante do público. Durante os 50 minutos de apresentação, a personagem retrata suas angústias e visões realísticas e pesadas da sociedade em um cenário que indica ser sua casa, mas também pode ser qualquer outro lugar na imaginação da plateia. A proximidade do ator com o público permite que ele converse e interaja com vários expectadores durante todo o tempo de espetáculo.
Por se tratar de um roteiro baseado numa dramaticidade intensa e polêmica, o ator faz questão de transmitir todo esse clima pesado para os momentos de conversa e interação com alguns integrantes da plateia de modo bem invasivo, até mesmo para não quebrar a linearidade dramática trazida pelo espetáculo.
Luiz Fernando está espetacular na incorporação de seu personagem que se dá, logo de início, de maneira grandiosa e envolvente chegando a transmitir para a plateia os sentimentos melancólicos vividos pela protagonista. Com cenário simples, quase desprovido de efeitos, é o ator quem conquista os expectadores ao conseguir, por si só, transmitir geniosamente tudo o que Caio Fernando de Abreu quis repassar ao escrever esta peça.

 

Portanto, vale conferir esta obra de Abreu encenada no palco do Espaço Cultural Pinho de Riga. Com direção de André Leahun, Dama da Noiteé uma peça para se assistir desprovido/a de qualquer preconceito e com uma mente totalmente aberta diante das interações e exposições que a plateia se sujeita a estar.
Por Mariana da Cruz Mascarenhas