Foto Jonatas Marques

“De repente 30!” A frase, que inclusive deu nome a um filme, é o temor de muitos que, ao chegarem a essa idade, ou mesmo se aproximarem dela, se deparam com uma série de desafios, cobranças e o dilema de ter ou não ter realizado aquilo que haviam planejado para suas vidas. Relacionamentos, carreira profissional, estabilidade financeira: tudo parece ganhar um peso maior na transição da fase jovial para a adulta.

Numa contemporaneidade marcada pela entrada cada vez mais precoce na adolescência e saída cada vez mais tardia dela, os dilemas dos 30 tornam-se ainda mais problemáticos. Abordando, com pitadas de humor, as angústias dessa geração, a comédia dramática Eigengrau, No Escuro, aborda os conflitos de quatro personagens na faixa dos 30, a partir do relacionamento entre eles.

Dirigido por Nelson Baskerville, o texto da dramaturga britânica Penelope Skinner conta a história de Carol (Andrea Dupré), uma feminista que divide seu apartamento com Rosa (Renata Calmon), jovem de 27 anos totalmente instável e obcecada por um rapaz com quem transou, mas que não deseja mais vê-la. O nome dele é Marcos, publicitário boa vida que se interessa por Carol e tenta se passar por feminista para atraí-la. Ele vive com seu amigo Tomás (Tiago Real), um jovem deprimido que não aceitou a perda da avó.

O cerne do espetáculo gira principalmente em torno do amor obsessivo-compulsivo que o publicitário nutre por Rosa. Ao desenrolar da trama, a peça ganha contornos mais dramáticos, à medida em que a garota expressa sua obsessão na raiva, na ansiedade e na projeção de um mundo paralelo, acreditando firmemente experienciar uma relação de amor correspondido com Marcos. Cada personagem exprime suas angústias pessoais ao seu modo, num cenário complementado com projeções de palavras e imagens ilustradoras dessa confusão mental de cada um.

Eigengrau é uma palavra de origem germânica e se refere à cor vista pelos olhos na completa escuridão, numa alusão à falta de luz ou direção em determinados momentos da vida dos personagens. Destaque para o papel de Renata Calmon que se sobressai ao texto, cujo desfecho não encerra os conflitos da trama e deixa em aberto as questões levantadas.

Serviço:

Eigengrau, No Escuro

Onde: Teatro Porto Seguro*: Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo. Telefone (11) 3226.7300. Bilheteria: de terça a sábado, das 13h às 21h e domingos, das 12h às 19h.

Quando: terças e quartas às 21h

Quanto: R$ 40 a R$ 50 (inteira)

*Serviço de Vans:  O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro. COMO PEGAR: Na Estação Luz, na saída Rua José Paulino/Praça da Luz/Pinacoteca, vans personalizadas passam em frente ao local indicado para pegar os espectadores.

Até 29/03/18