Depois de se destacar na comédia nacional com o seriado Cilada, exibido no canal Multishow, o ator Bruno Mazzeo vem para os telões vivendo atrapalhadas confusões, da mesma forma como ocorre na série de TV.

Se no seriado, as histórias se desenvolvem de forma previsível ganhando algumas cenas momentâneas, que surpreendem de maneira bem leve os espectadores com um ou outro desenrolar diferencial acrescido de humor, o filme Cilada.com praticamente não se difere da situação exposta ao trazer um roteiro desprovido de muitas surpresas e que apenas trabalham o gênero com uma série de piadas excessivas e prolongadas.

Mazzeo, que vive o protagonista da trama, também acaba por não colaborar muito com a inovação do filme, já que ele apenas vive o conflito traçado no roteiro sem experimentar uma interpretação mais aprofundada de seu personagem, ao contrário de muitos comediantes que tomam o roteiro apenas como uma premissa para que possam mergulhar no papel, experimentando novas características que contribuam para preencher a produção.

O filme narra a história de Bruno (Bruno Mazzeo), que tem a sua reputação destruída após trair a namorada (Fernanda Paes Leme), que, revoltada, resolve se vingar e publicar um vídeo no Youtube para que todos possam ver o péssimo desempenho sexual de seu namorado, que sofre de ejaculação precoce. Após se tornar um fácil alvo de inúmeros tipos de piadas entre os internautas de todo o país, ele parte em busca de uma solução para o problema: encontrar uma garota com quem ele possa ter uma transa perfeita, gravá-la e publicar na internet a fim de reconstruir a sua péssima imagem.

A partir daí ele passa por uma série de conturbadas confusões para cumprir sua missão. Dirigido por José Alvarenga Jr, o filme se reproduz nos moldes semelhantes aos do seriado, com as mesmas piadas, que parecem ter sido esticadas para preencherem o tempo de um longa, tornando-se desta forma repetitivas.
 
Por Mariana Mascarenhas