Conhecido por levar inúmeros espectadores a gargalhar nos teatros – onde ele se revela um verdadeiro astro da comédia teatral brasileira – e famoso também nas telinhas – por ter feito inúmeras novelas destacando-se, por exemplo, em Belíssima, como o açougueiro gago chamado Fladson e atualmente interpretando o espírito de um médico cirurgião em Alto Astral– o ator, autor e diretor Marcelo Médici volta para os palcos no Teatro Shopping Frei Caneca com o espetáculo Cada Dois Com Seus Pobrema, com direção de Paula Cohen.
Após dez anos da estreia de Cada Um Com Seus Pobrema, peça produzida e encenada por Médici que foi um tremendo sucesso de público, neste novo espetáculo o ator resgata seus diferentes personagens encenados nos palcos há dez anos e que conquistaram espectadores de todas as idades com seus trejeitos e discursos originais e bem elaborados.
A peça não é uma continuação de Cada Um Com Seus Pobrema, mas sim um resgate não só dos seus personagens como de grande parte de suas falas. No entanto, esta revelação só ocorre na segunda metade da peça, já que ela se inicia com dois personagens que são atores, feitos por Médici e o ator Ricardo Rathsam, que estão encenando uma divertida comédia cujo cerne é uma entrevista de um jornalista a uma atriz completamente amalucada e que vive reclusa. Enquanto Rathsam encara o repórter, Médici diverte a plateia encarando a atriz maluca e também a governanta, que trabalha para esta atriz e que de normal também parece não ter nada.
Depois de um tempo, a cena é interrompida por um conflito entre os personagens atores e a seguir o público é levado a relembrar ou conferir pela primeira vez os famosos personagens encarados por Médici em Cada Um Com Seus Pobrema, como o Mico Leão Dourado, a apresentadora de programa infantil que não se simpatiza muito com criança, Tia Penha, e o motoboy corintiano Sanderson – personagem que também teve algumas participações no seriado televisivo Vai Que Cola, exibido pelo Multishow, e que foi sucesso de audiência – entre outros.

Quem já conhece estes cômicos personagens talvez já não ache tanta graça, até mesmo pelo fato de muitas falas já serem repetidas, ainda assim é válido relembrar e conferir novamente o talento deste grande humorista que é o Marcelo Médici, que consegue envolver o público com seu humor diferenciado e cativante, com um domínio e uma naturalidade que poucos humoristas brasileiros possuem. 

Mas quem quiser conferir o espetáculo deve se apressar, pois ele permanecerá em cartaz apenas até o dia 26 de novembro e já está com quase todas as sessões esgotadas.
Por Mariana da Cruz  Mascarenhas