Publicado em 30 de julho de 2016

Por Mariana da Cruz Mascarenhas

Quem é que não se lembra, especialmente os que tiverem mais de 30, das famosas cenas de um grupo de homens que resolve caçar fantasmas pelas ruas de Nova York? Lembrou-se do que se trata? Sim, acertou quem pensou no famoso longa Caça Fantasmas (1984), que divertiu inúmeros espectadores e se consagrou como comédia cult, tornando-se difícil não ser lembrado junto a música tema, que também ficou mundialmente conhecida.

Pois agora o original – que conta a história de três cientistas, estudiosos de casos paranormais, que se dedicam a exterminar fantasmas após perderem o emprego – ganha uma versão feminina acrescido de mais algumas mudanças.

No remake de Caça Fantasmas, lançado nos telões brasileiros em 14 de julho de 2016, Erin Gilbert (Kristen Wiig) é uma professora de prestígio da Universidade de Columbia. A situação muda quando descobrem que ela havia escrito há alguns anos, junto com a sua amiga Abby, um livro sofre fantasmas.

Após perder o emprego, a professora acaba então se juntando a Abby (Melissa McCarthy) e a sua colega Jillian Hotzman (Kate McKinnon), para montar uma empresa destinada a caçar fantasmas. O que ocorre após o relato de uma funcionária do metrô de Nova York (Leslie Jones), que diz ter presenciado acontecimentos estranhos no subterrâneo.

Mas a tarefa não se revela tão fácil assim, já que elas encontram pistas que levam a crer que o mundo está em risco graças aos seres sobrenaturais. Para piorar, o prefeito fará de tudo para atrapalhar o trabalho delas, na tentativa de evitar que o caos e o medo se espalhem entre a população.

Considerada um dos destaques das comédias americanas, a atriz Melissa McCarthy mais uma vez dá o ar da graça, especialmente nas trapalhadas de seu personagem quando testa equipamentos para caçar os fantasmas. Leslie Jones também provoca algumas gargalhadas tentando fugir dos fantasmas. Na cena em que ela aparece correndo em disparada de um manequim assombrado é difícil conter o riso. O ator Chris Hemsworth, que viveu o personagem Thor, também participa deste longa como um secretário que posa de bonitão, mas que de inteligente parece não ter nada. Sua atuação também é chamativa e denotada de humor.

Apesar de ser uma comédia simples, sem muitos efeitos e variações de conflitos – ficando talvez aquém do primeiro longa – é válida para dar umas risadas e matar as saudades não somente da história, como da famosa música tema do filme, também tocada neste remake.