Foi apresentada nesta sexta-feira (13), na reunião do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Peruíbe – CONDEMA, a proposta da criação de uma nova Unidade de Conservação (UC) na Baixada Santista, mais precisamente na extensa área florestada entre os municípios de Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe.

Chamada de UC Papagaio-de-cara-roxa, a apresentação foi realizada pelo biólogo e ornitólogo, Bruno Lima, e pelo biólogo, Gabriel Borali, do CEB Cara-roxa, entidade que monitora os Papagaios-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis) de Itanhaém.

Os Biólogos, Gabriel Borali e Bruno Lima, que apresentaram a proposta no Condema

Além dos Psitacídeos, que são encontrados apenas no litoral de São Paulo e do Paraná, a região sinaliza um potencial ambiental riquíssimo, pois já foram encontradas outras importantes espécies de aves na área, como o Tauató-pintado (Accipiter poliogaster), Jacutinga (Aburria jacutinga), Apuim-de-costas-pretas (Touit melanonotus), a Harpia (Harpia harpyja), entre outros. Há a necessidade de um estudo mais detalhado de fauna e flora para que este potencial seja confirmado.

Na apresentação,  falou-se da importância da área na geração de renda por meio do turismo e também como alternativa econômica para a cidade, já que o Porto Brasil e a Usina Termoelétrica foram rechaçadas por parte da população. Lima disse que possui uma agenda turística de interessados em visitar a área e ressaltou que ela é tão ou mais importante em número de espécies de aves do que as matas da Juréia.

O palestrante disse que viu comentários nas “redes anti-sociais” contrários ao projeto apresentado por ele, apontando que o município já possui outras unidades de conservação e precisa cuidar delas direito ao invés de criar mais uma. Quanto a isso, ele falou que uma área é distinta da outra e que é importante que todas elas sejam preservadas.

Apesar de todo este potencial citado, as restingas das três cidades estão desaparecendo. Há um desmatamento desenfreado em curso e a abertura de novas ruas. A especulação imobiliária é forte e as pessoas precisam de casas para viver ou para formar novas famílias. Por sua vez, a natureza também precisa de seu espaço para existir. Algo precisa ser feito!

Ao término da exposição, a proposta foi aplaudida pelos conselheiros e visitantes presentes. O Secretário de Turismo, Eduardo Ribas, conselheiro do Condema, falou que tenta desenvolver o turismo na Zona Rural e que a sua pasta está disposta a ajudar no que for preciso. Em seguida, A Secretária de Meio Ambiente e Presidente do Condema, Rosângela Barbosa, disse que a proposta é importante e apontou algumas das dificuldades que podem ser encontradas até o objetivo final, mas disse que está disposta a ajudar no que for necessário. Outra que pediu a palavra e mostrou apoio foi a conselheira, Mari Polachini, do Mocan- Movimento Contra as Agressões à Natureza.

Além deles,  uma petição online que pede apoio à proposta, circula nas redes sociais com o objetivo já atingido, que era de coletar 4.000 assinaturas. Em breve, deve atingir 5.000 apoiadores.

Vale lembrar que a área em questão faz parte de uma IBA (Important Bird Area), que são áreas importantes para a conservação das aves no Brasil, citada no livro com o mesmo nome e reconhecida internacionalmente.

Muita coisa ainda há por fazer, mas os primeiros passos foram dados.

A apresentação da UC Papagaio-de-cara-roxa, no CONDEMA, no dia 13 de julho

Texto e Reportagem: Márcio Ribeiro

Fotos: Márcio Ribeiro

Contato: ogaroca@bol.com.br