Publicado em 4 de outubro de 2015

Por Mariana da Cruz Mascarenhas 

Mesmo quem não é muito fã de musical pode se encantar e dar muitas risadas com esta divertida história protagonizada pelos talentosos atores Miguel Falabella e Simone Gutierrez. Em cartaz desde o dia 20 de agosto no Teatro Cetip, em São Paulo, o espetáculo Antes Tarde do que Nunca é uma comédia musical da Broadway com texto de Guy Bolton e P.G Wodehouse, adaptação e direção de Falabella e direção musical de José Possi Neto.

O roteiro apresenta as hilárias confusões vividas por Jimmy Winter (Miguel Falabella), um playboy que vive na Nova York dos anos 20 e que está prestes a se casar pela quarta vez. Mas o casamento não sai conforme o planejado e sua rotina muda de vez quando ele encontra Billy Bendix (Simone Gutierrez), uma contrabandista de bebida, de aspecto masculino, que acaba mexendo com o coração do playboy graças a seu jeito provocativo e ao mesmo tempo engraçado de ser.

As confusões só aumentam quando Billy e seus comparsas resolvem esconder mercadoria ilegal na casa de Winter para se safarem da polícia e, quando um deles (Claudio Galvan) é surpreendido pelo próprio playboy – que chega à residência com sua esposa Eillenn (Jana Amorim) para lua de mel –, acaba sendo confundido com o novo mordomo do lar.

Estas e diversas outras trapalhadas vividas pelos personagens são garantia de risadas do começo ao fim do espetáculo, com piadas simples e muito bem elaboradas para cada situação. Prestes a completar 59 anos no dia 10 de outubro, Falabella simplesmente brilha no palco, assim como costuma fazer em outros papeis encarados tanto no teatro quanto na televisão.

Em alguns momentos do espetáculo, é possível identificar semelhanças entre o personagem Winter e Caco Antibes, papel vivido por Falabella no programa Sai de Baixo e cujas falas e trejeitos se tornaram popularmente conhecidos entre os mais diversos tipos de público, que adoravam ver o famoso Antibes, um ex-rico da sociedade paulistana que tem horror a pobre.

À altura de Falabella no quesito talento artístico está Simone, que, assim como ele, arranca gostosas gargalhadas dos espectadores nos diversos momentos dos 150 minutos de duração da peça e cuja expressão corporal explora perfeitamente bem o aspecto hilário de seu personagem, de tal forma que ela nem precisa abrir a boca para arrancar risos do público. Destaque também para a sua potência vocal, visível principalmente na entoação de canções em tom agudo.

Vale ressaltar ainda a atuação de Claudio Galvan, no papel do contrabandista que se passa por mordomo, também com expressão corporal perfeita para seu cômico papel.

O fato é que todos do elenco estão em perfeita sintonia cênica, contribuindo assim para atuações e coreografias brilhantes. A cenografia é outro aspecto a ser ressaltado, dada a riqueza de detalhes presente em cada um dos vários cenários que rapidamente surgem aos olhos do público e também velozmente se transformam numa próxima cena. A peça acerta em cheio em todas as categorias, podendo assim conquistar até mesmo os não muito amantes de musicais, com suas hilárias situações, afinal, antes tarde do que nunca.