Publicado em 2 de novembro de 2015

Por Mariana da Cruz Mascarenhas 

Uma mistura de cores, atuações, danças e músicas típicas, com inspirações literárias, preenchem o palco do Teatro Popular do Sesi em homenagem a um dos maiores escritores brasileiros: Jorge Amado (1912 – 2001). É a peça Amado, que volta a ser apresentada como parte das comemorações dos 50 anos do Teatro do Sesi.

O espetáculo – que estreou pela primeira vez no ano de 2012, em homenagem ao centenário de nascimento do escritor baiano – transporta o público, de uma forma gostosa, suave e divertida, para o universo literário de grandes obras do autor, focando conflitos amorosos vividos pelos seus personagens. Histórias tão conhecidas e renomadas como Dona Flor e Seus Dois Maridos, Quincas Berro D’Água, Gabriela Cravo e Canela, Capitães de Areia e Os Velhos Marinheiros parecem sair das páginas do livro para ganharem novas versões no palco, por meio de pequenos trechos contatos pelo elenco através do teatro, da dança, da música e até das artes circenses.

Para completar, a literatura de Amado explorada pela peça é complementada com a apresentação cênica de festas, crenças e manifestações populares brasileiras, também típicas da região do escritor. O espetáculo não apresenta uma sequência linear, mas sim uma conjunção de cenas isoladas, divididas em capítulos, baseadas nas histórias das obras do autor.

Amado é encenado por artistas polivalentes que fazem parte do Instituto Brincante – composto por artistas populares, que transformam a arte em uma grande “brincadeira” entre pessoas que se revelam simultaneamente músicos, atores, bailarinos e etc. Utilizando a metodologia lúdica, o elenco traz para o palco do Sesi uma sintonia perfeita de diferentes expressões artísticas, de maneira que cada uma tem sua função muito bem delineada e justificada – afinal, não basta apenas misturar, é preciso dar sentido para que cada manifestação artística ganhe coerência e não se sujeite a ser uma mera peça entre tantas outras, numa espécie de “quebra-cabeça” desordenado que desagrada ao público.

Mas em se tratando do elenco do espetáculo, não há com o que se preocupar, já que todos estão muito bem aptos aos seus papéis, conferindo as devidas funções a cada cena e aumentando ainda mais a paixão dos espectadores pelo grande Amado, ao despertar a vivacidade das obras na mente e no coração de cada admirador do escritor.

Com direção de Rosane Almeida, co-fundadora do Instituto Brincante, Amado reestreou no dia 17/10/15 e permanecerá em cartaz, em curta temporada, até 15/11/15.

There are currently no comments.