O vermelho de volta aos telões

O diretor Pedro Almodóvar está de volta trazendo aos telões as fortes características existentes na sociedade espanhola.

Um dos mais renomados cineastas espanhóis que conquistou reconhecimento internacional, Almodóvar é famoso por seus filmes que satirizam a sociedade espanhola, algumas vezes com humor negro, como nas produções que conquistaram vários países pelo mundo: Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos (1988), Ata-me (1990), De Salto Alto (1991), Kika (1993) entre outros.

Em Abraços Partidos não é diferente, o filme mostra, assim como nas dramaturgias anteriores, a total entrega que Almodóvar tem pelo seu trabalho. O enredo traz a vida de um cineasta que se divide em duas pessoas: o diretor cinematográfico Mateo Blanco (Lluis Homa) que durante produção de seu longa (o qual faz referência a Mulheres à beira de um ataque de nervos), se apaixona por Lena (Penélope Cruz), a mulher do empresário Ernesto Mariel, a qual, querendo se tornar atriz, participa de um teste para fazer o filme de Blanco e acaba sendo aprovada Então, a partir de uma tragédia que ocorre em sua vida, o cineasta perde a visão e decide trocar de identidade, transformando-se no roteirista Harry Caine.

A intensidade com que os personagens se relacionam, os fortes traços característicos de cada um indicando a personalidade dos personagens e a retratação da cor vermelha que se apresenta durante quase todo o longa trazendo sentimentos de caráter forte, relatam que Almodóvar está de volta para matar a saudade de quem vem aguardando novas produções almodovarianas.

Mesmo quem não acompanhou os seus trabalhos, vale a pena conferir e descobrir a importância de suas conquistas no cinema internacional.

There are currently no comments.