Inconstante é tua face ante a imensidão de meus pecados.
Hora acalenta, hora apunhala. Tão anjo quanto fera.
Tua tez, enquanto sangro, em nada altera
Pois não sentes, nem em parte, nem miséria, o que outrora te foi dado.

Entre os dedos me escapam tantos corpos.
Entre as farpas se esfacelam tantas almas.
Entres os lábios se esvai toda a calma
E o que um dia fora nobre, jaz fundo em copos.

Dá-me a dúvida por benefício
Não mais me afeta teu escarnio mal concebido
Mas ainda há dor. Ainda há o vício.

Ainda passeia por este peito esquecido
O palpitar descompassado que virgo causara
A prima letra ao primo verso em cada estrofe faz um mal que já não sara.

There are currently no comments.