Publicado em 31 de janeiro de 2016 

Por Mariana da Cruz Mascarenhas 

É possível apostar contra o sistema e ganhar? Parece até uma utopia mas, para uma turma de investidores, é possível sim, ao menos é o que eles acreditam na comédia A Grande Aposta.  Extraído do livro A Jogada do Século, escrito por Michael Lewis, o longa traz as artimanhas de uma turma de investidores que prevê a crise financeira de 2008 – que surgiu nos EUA e afetou países do mundo todo – muito antes dela acontecer e resolve apostar muito dinheiro com isso. Entre eles está Michael Burry (Christian Bale), um verdadeiro gênio das finanças que passa a maior parte do tempo trancafiado em seu escritório, vestindo bermudas e chinelos ao som elevado de heavy metal.

Apenas para contextuar o leitor, já que o filme todo é voltado para a crise norte-americana: alguns anos antes de 2008, o mercado imobiliário dos EUA vivia o seu auge com o aumento cada vez maior das vendas de imóveis. No embalo da ascensão imobiliária, as agências financeiras e os bancos facilitaram o acesso ao crédito, o que aumentou o número de empréstimos, os quais por sua vez, alavancou mais as vendas de imóveis.

O problema foi que a concessão desenfreada de empréstimos acarretou numa série de inadimplentes, já que nem todos possuíam bom histórico de pagamento de dívidas. Bancos e agências tiveram que reduzir créditos, as pessoas começaram a parar de comprar imóveis e abriu-se um cenário para a crise.

E é justamente este quadro que acaba sendo previsto por alguns investidores do filme após se darem conta que os empréstimos desenfreados eram desproporcionais ao número de devedores que realmente teriam condições de quitar suas dívidas. Eles se lançam então numa proposta arriscada: fazer uma espécie de aposta milionária com os maiores bancos norte-americanos que uma grande crise estaria por vir dentro de alguns anos.

Mas, num cenário de constante ascensão econômica, onde mal se avistava a sombra de qualquer queda na economia, quem poderia prever que um colapso estava para surgir? Sendo assim, muitos aceitaram as propostas dos investidores até mesmo às gargalhadas, achando que eles não passavam de malucos por se arriscarem de tal forma.

O filme faz uma boa abordagem sobre a crise financeira norte-americana explorando suas verdadeiras causas: a ganância e a obsessão pelo lucro que “cegou” muitas financeiras em seus empréstimos descontrolados.

Porém é recomendável ter certo apreço por assuntos econômicos para assistir A Grande Aposta, já que a produção falha um pouco ao usar vocábulos de economia muito específicos ao decorrer de toda a trama, podendo dispersar os leigos. Com direção de Adam McKay, A Grande Aposta concorre ao Oscar de melhor filme, ator coadjuvante (Christian Bale), roteiro adaptado e montagem.