“Gravidade” conquista 7 prêmios, sendo o líder de estatuetas na noite da festa do cinema


Depois de levar o Globo de Ouro, o BAFTA – considerado o Oscar Inglês –, e também o prêmio para filmes independentes norte-americanos, todos na categoria Melhor Filme, não foi surpresa para ninguém o anúncio de 12 Anos de Escravidão como vencedor do Oscar de Melhor Filme. O ator Will Smith foi quem anunciou esta premiação, considerada a mais esperada na noite da 86ª Cerimônia do Oscar, realizada no dia 2 de março de 2014 no Dolby Theatre em Los Angeles, seguida por um belo discurso de agradecimento do ator Brad Pitt, que é o produtor do filme e também fez uma pequena participação na trama, ganhando seu primeiro Oscar.

Com direção de Steve McQueen, o filme também conquistou as estatuetas de Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Atriz Coadjuvante para Lupita Nyong’o, que se emocionou no momento de agradecer o prêmio. “Quando eu olho para a estátua dourada, espero que isto lembre todas as crianças pequenas que, não importa de onde você é, seus sonhos são válidos”, discursou a atriz, que é filha de pais quenianos, nascida no México e crescida na África. Na trama, Lupita interpretou brilhantemente uma escrava que sofre os mais atrozes castigos, como chibatadas que chegam a arrancar a pele de suas costas, além dos abusos sexuais cometidos por seu amo.

Um dos fortes motivos que pode ter levado a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas a premiar 12 Anos de Escravidão como o melhor filme está no fato de que não se trata apenas de mais uma produção destinada a explorar o tema da escravidão, mas sim de uma trama que soube retratá-lo de forma como nunca antes vista nos telões, chocando os espectadores com cenas detalhistas e muito mais próximas ao sofrimento coletivo vivido pelos escravos. Sem contar que se trata de uma obra baseada na história real de Solomon Northup – escravo livre do Norte estadunidense que foi sequestrado e levado ao Sul escravagista daquele país, sofrendo as mais diversas crueldades – quem narrou estas experiências em seu livro, que deu origem ao filme.

Gravidade, um dos líderes em indicações ao Oscar, foi quem mais levou estatuetas nesta festa do cinema, sendo premiado nas categorias Melhores Efeitos Visuais, Melhor Mixagem de Som, Melhor Edição de Som, Melhor Montagem, Melhor Fotografia, Melhor Trilha Sonora e Melhor Direção para o mexicano Alfonso Cuarón, primeiro diretor latino-americano a ganhar o Oscar. Mas não podia ser diferente com esta produção – que narra o desespero de dois astronautas que ficam dispersos no espaço depois que o ônibus espacial, onde se encontravam, é totalmente destruído por pedaços de satélite – já que ela se mostra praticamente impecável em termos de som, cenário e efeitos especiais.

Cuarón tem sacadas geniais ao fazer um verdadeiro jogo sonoro num cenário praticamente ausente de som, que é o espaço sideral. É perceptível, por exemplo, a presença absoluta do silêncio para caracterizar ao espectador o momento em que este é levado para dentro da imaginação da protagonista da história, interpretada por Sandra Bullock, que concorreu ao Oscar de melhor atriz, mas perdeu a disputa para Cate Blanchet, quem se destacou em Blue Jasmine, de Woody Allen. Quanto a Trapaça, que também liderou em indicações ao Oscar, este filme acabou não levando nenhuma premiação para casa.

Já os prêmios de Melhor Ator e Melhor Ator Coadjuvante foram, respectivamente, para Matthew McConaughey e Jared Leto, ambos atuantes do Clube de Compras Dallas – produção que conta a história de um caubói homofóbico e mulherengo que passa a traficar AZT para os EUA, após descobrir que tem AIDS. McConaughey chegou a perder 20 quilos para interpretar o protagonista aidético.

Um dos momentos memoráveis desta cerimônia, especialmente para os brasileiros, foi a aparição da imagem do grande cineasta brasileiro Eduardo Coutinho, morto no ano passado, no telão do Teatro Dolby. O retrato de Coutinho apareceu entre diversas outras fotos de membros da indústria cinematográfica que faleceram em 2013 e foram homenageados pela Academia.

A festa do Oscar foi apresentada pela atriz Ellen DeGeneres, que se mostrou bastante à vontade com a plateia por meio de suas brincadeiras e piadas, ao contrário do que ocorre em muitas cerimônias de anos anteriores, cujos apresentadores se tornam tediosos com suas piadas sem graça e forçadas. Vale destacar ainda a tentativa de maior proximidade do evento com os telespectadores comuns, como nos momentos em que DeGeneres oferece pizza para a plateia de personalidades em pratos de plástico e ainda tira uma foto de seu iPhone – a chamada selfie, espécie de autorretrato – ao lado de diversos outros artistas, para postar em seu twitter, sendo este um dos momentos mais comentados do Oscar nas redes sociais.

Veja a lista completa de ganhadores do Oscar 2014: 

Melhor Filme: 12 Anos de Escravidão
Melhor Ator: Matthew McConaughey  – Clube de Compras Dallas
Melhor Atriz: Cate Blanchett – Blue Jasmine
Melhor Ator Coadjuvante: Jared Leto – Clube de Compras Dallas
Melhor Atriz Coadjuvante: Lupita Nyong’o – 12 Anos de Escravidão
Melhor Diretor: Alfonso Cuarón – Gravidade
Melhor Roteiro Original: Spike Jonze – Ela
Melhor Roteiro Adaptado: 12 Anos de Escravidão
Melhor Animação: Frozen – Uma Aventura Congelante
Melhor Filme Estrangeiro: A Grande Beleza
Melhor Documentário: A Um Passo do Estrelato
Melhor Documentário de Curta-Metragem: The Lady Number 6: Music Saved
Melhor Trilha Sonora: Steven Price – Gravidade
Melhor Canção Original: “Let it Go” – Frozen – Uma Aventura Congelante
Melhor Figurino: O Grande Gatsby
Melhor Cabelo e Maquiagem: Clube de Compras Dallas
Melhor Curta:Helium
Melhor Curta de Animação: Mr. Hubblot
Melhor Montagem: Gravidade
Melhores Efeitos Visuais: Gravidade
Melhor Fotografia:Gravidade
Melhor Desenho de Produção: O Grande Gatsby
Melhor Edição de Som: Gravidade
Melhor Mixagem de Som: Gravidade 

Por Mariana da Cruz Mascarenhas